A primeira desilusão amorosa


Não sei o que fiz para merecer tão pouco mas sei que mereço mais e está mais que na altura de me dar ao valor.

Há cerca de 1 mês atrás conheci um homem que me atraiu com não sei muito bem o quê. Não é giro, não tão inteligente, não é parecido comigo, and so on and so on... Mas essas coisas a mim não me interessam, nunca interessaram. Sei que para muita gente é difícil de entender mas eu não tenho critérios pré-definidos para conhecer pessoas ou para me sentir atraída por homens, mais especificamente. O critério é se, com ou sem abordagem, me mantiveram interessada... Adiante.

Isto foi há 1 mês e depois de um mês continuo encalhada com um homem que não me liga nenhuma, lá manda mensagem de vez em quando (basicamente quando se sente aborrecido) e lá me convida para sair quando até lá arranja tempo na agenda ocupadíssima.

Mereço mais. Não sou a pessoa com mais tempo do mundo e muito menos daquelas que adora andar o tempo todo pendurada no pescoço do outro mas mereço mais. Mais atenção, mais carinho, mais dedicação, mais preocupação...

Posto isto, mandei uma mensagem esta noite a dizer isto mesmo. Que não sei porque mereci tanto desprezo mas que sei não o merecer. Amigos como dantes e bola para frente.

Não vou desistir dos homens, claro que não. Aliás, acho que esta é capaz de ser a minha primeira "desilusão". Mas claro que aprendo uma lição: também é preciso dar para receber e uma relação é feita de um equilíbrio entre ambas.

E agora vou dormir, tentar não pensar na m***@ de dia que vou ter amanhã com ensaios desde as 10h da manhã para uma peça de que nem sequer gosto e que nem sequer é remunerada. Só me meto nestas...


Cisne.

Comentários

Mensagens populares deste blogue

Demasiado