Mensagens

Harry Potter in Concert

Imagem
Gostei, até porque já não me lembra va bem do filme, mas o som ficou aquém das expectativas. Fui ver o Senhor dos Anéis in Concert na Gulbenkian em Novembro e adorei. Ora, tendo em conta que eu gosto 3 vezes mais dos filmes do Harry Potter do que do Senhor dos Anéis e mesmo assim adorei o concerto da Gulbenkian, este que não era acústico...nha...
Mas pronto, passei um bom serão na mesma. E tocaram bem. Só que não se sentia a força e presença da orquestra.
Cisne

Tive medo de levar uma dentada

Imagem
Uma das coisas em que sei que mudei foi na maneira como vejo relacionamentos amorosos. Dantes empenhava-me muito em perceber tudo. Em escarafunchar tudo, discutir e dissecar uma discussão até à última. Com ele, agora, aprendi que há coisas que não merecem ser continuadas. Discussões feitas de nada, que não têm mais base nenhuma a não ser cansaço ou medo de não ser suficiente (alheio à relação). Às vezes basta ir lavar a loiça, ou ir tirar a maquilhagem ou ir pintar as unhas para o quarto. A verdade é que se não nos incomodar-mos um ao outro depois de termos percebido que estamos a discutir sobre nada, é incrível o processo de reset que conseguimos fazer sozinhos. Não sei como percebemos isto, mas suponho que ano e meio tenha chegado. 
É bom...saber que - se realmente esperarmos o tempo exacto necessário - podemos voltar sem termos medo de levar uma "dentada".
Cisne

Para os amigos do Porto!

Esta Orquestra é linda! (clicar em Continuar a ver para ver o vídeo)


E quem pode pedir mais que uma orquestra a tocar músicas de filmes absolutamente emblemáticos, com bandas sonoras marcantes e lindas? Com cantora ao vivo - também ela super talentosa e humilde, a cantora do "Já Passou" do filme Frozen - Margarida Encarnação e outras surpresas =)
Venham :) :)
https://ticketline.sapo.pt/evento/movies-in-concert-18932

"Estava só a brincar"

" Ele: Lá de três em três meses trocamos mensagens, é uma amiga, só não aceito sair com ela porque tu terias ciúmes. Eu: Eu sempre te disse que podias sair com quem quisesses, eu confio plenamente em ti. Tu só não vais porque sabes que eu teria legitimidade para fazer o mesmo e isso tu não queres. - Não, não é nada por isso. Mas sei que pode haver a possibilidade de ela querer alguma coisa comigo mas estou tranquilo, não quero nada com ela, estou contigo. - Eu sei, por mim estás à vontade e confio em ti. Só não digas que é por minha causa porque eu sempre te dei toda a liberdade... - Ai...Estava só a brincar"
Estão sempre só a brincar. Quando temos resposta estão só a brincar, quando não temos confiança em nós mesmas e acabamos por não dar resposta é bem sério.
Do que depender de mim, espero nunca me "esquecer" de dar resposta. Ou eu o endireito ou partimos os dois.
Cisne

O medo mora comigo

Imagem
Acho que o medo é uma memória de um sofrimento que vem de fininho.
Quase nunca me lembro de ter tido uma relação de três anos em que fui manipulada e mal tratada verbalmente. Mas lembro-me sempre com muito pormenor de tudo quando raspo numa situação que é ou pode vir a ser semelhante...
Quando esta memória vem ao de cima, experiencio um medo dilacerante de viver tudo outra vez. Perdão. Tenho medo de viver tudo outra vez e novamente sem me aperceber disso.
Por um lado obrigo-me a procurar "sinais de perigo" ter a certeza que não estou a ceder demasiado, que não estou a sobrepor a vontade dele à minha, etc.. Mas quando se gosta, este julgamento fica tão mais difícil e deturpado... Por outro lado não quero estar atenta a nada, quero viver esta relação, quero aceita-lo, entende-lo, não ser demasiado exigente...
Já consegui muita coisa nesta relação. Desde discussões de ciúmes cada vez menos frequentes até piadas ou comentários de muita insegurança. Não quero perder a força nem …

Ponto da situação #2

Aquela sensação de que nem sequer queres ter o telefone ao ouvido porque aquela pessoa que te tira do sério está demasiado próxima de ti. Metes em altifalante e afastas o telefone - ajudou, mas mesmo assim só se fica bem desligando a chamada.
Cisne

Ponto da situação

Eu devo estar maluca.
Ora bem isto aconteceu, certo? Pois hoje de manhã acordo com uma mensagem fofinha a dizer que estava cansado e sem paciência e que sim, tinha sido uma discussão parva e pediu desculpa. Maravilha, encantados da vida, não se fala mais nisso! Diria eu. E disse, indirectamente.
Pois parece que não. Não me atende e não me responde... Ah mas então é porque está a trabalhar!... Não, parece que não. Se está, teve tempo para ir ao facebook e ao whatsapp porque é o que diz lá. (sim, sim, porque isto de controladores juntam-se sempre aos pares).
Posto isto, só tenho duas teorias possíveis: ou ele descobriu o meu blog sei lá como e ficou zangado com o que eu escrevi (também não sei porquê, porque tudo o que disse é verdade) ou não gostou do que eu lhe respondi à mensagem fofinha - e dado que foi "gosto muito de ti, és muito importante na minha vida", duvido muito. Ou então não duvido nada. Este homem devia vir com livro de instruções porque eu não percebo nada.
Só…