Mensagens

Da falta de coragem que descobri que tenho

Ontem, por motivos profissionais, vi-me obrigada a conduzir o meu carro em direção a Coimbra desde Lisboa. À medida que ia avançando na auto-estrada ia-me encolhendo mais e mais no meu assento, sentindo que estava a ir na direção errada. Não posso imaginar o que sente quem não tem hipótese de ir para mais lado nenhum quando o fogo lhes assola as casas, as quintas, os animais, as pessoas... Vi todas as fotos e vídeos no Facebook mas de facto só quando me vi por debaixo de um "nevoeiro" de fumo e senti o cheiro a vidas queimadas é que senti a gravidade da situação. Senti a vontade de largar os meus planos e ir a correr ajudar alguém, ir a um supermercado comprar garrafas de água para distribuir, tudo. E a verdade é que não fui não por causa do trabalho ou preguiça mas por medo. Medo de perder a própria vida. Obrigada a todos aqueles que tiveram e têm a coragem de fazer o que eu não pude. E coragem aos que estão sozinhos a lutar porque não há corajosos suficientes. Vocês conse…
Acho que tenho um fraquinho pelas bridges das músicas. Sou só eu?? É sempre aquela parte da música que mais me cativa... o problema é que geralmente não gosto de mais nada. Ora aqui vai um exemplo:
https://youtu.be/Dj1MRUkZu6s
Do minuto 0'40 ao 0'58 tudo certo. Mais do que isso esqueçam lá, amigos.

Btw o casal a dançar kizomba, arrasa com o vídeo. Brutal!

Cisne

Procrastinar

Não acredito que ainda não criei o blogue de dança
Não acredito que ainda não comecei a coreografia para um Festival no início de Novembro
Não acredito que faltei duas vezes à  mesma aula
Não acredito que ainda não fui capaz de concluir o documento do meu novo projecto pedagógico
Não acredito que acabei de enviar por correio azul a minha candidatura para ser professora  um Conservatório em Coimbra
Não acredito que voltei às velhas péssimas rotinas de me deitar às duas da manhã e levantar às 11h

Eerrrr.......!
Cisne
Como é que se ultrapassam frustrações?
Como é que se ultrapassam planos furados?
A palavra-chave:《expectativa》.
Para a minha irmã o segredo está em esperar sempre o pior (ou nada de todo) pois se se confirmar estaremos preparados e se algo melhor vier será uma boa surpresa. Para o meu pai o mesmo.
No geral, toda a minha família é bastante negativa. Aprendeu a sê -lo  com os azares da vida e desde que a vida mudou que andam quase todos a tentar mudar o pensamento mais saudável.
Eu, por cá, estou perdida. Não há prática nem teoria que me colham do drama que eu faço. Não quero a vida que tenho. E eu ingrata, como uma criança de três anos, não consigo aceitar o que tenho no momento, observar que tudo está perfeitamente alinhado, para me queixar dia sim dia não que estou perdida no tempo e no espaço.
E assim é como me sinto.
Quem dera um melhor post para uma retirada do blog de mais de um mês .

Obrigada por lerem o que eu não sou capaz de falar. Obrigada linguagem escrita.

O pós

Tenho tido a sensação, desde há cerca de um mês depois de ter sido despedida da Academia onde trabalhava (embora só me tenha apercebido agora), que errar é muito fácil.
Algo fora do normal acontece e...ups...pé na argola. Tudo estava como sempre foi e de repente...pumba...fizemos tudo como sempre e deu asneira.
Se por um lado ser despedida e ter de procurar emprego se revelou positivo e refrescante e uma oportunidade para deixar coisas mais felizes entrarem na minha vida, por outro tem-me tornado numa pessoa medrosa e ultra cautelosa. Penso no que digo, como digo, a quem digo e passo a vida desconfiada. Desconfiada de mim: "será que disse a coisa certa? Será que fiz bem? Será que esperavam outra coisa? Espero não me ter esquecido de nada. E se eu me esqueci de alguma coisa? E se eu devia ter avisado e não avisei? E se eu devia ter ficado calada e abri a boca?".  É muito fácil, é a sensação que tenho...
Cisne

Últimas aquisições

Imagem

Fui viajar...

Imagem
Comecei por Edimburgo - parte da Cidade






...Edimburgo High Lands...






... Londres...






 ... E chegámos a Antuérpia, o local do meu curso intensivo de dança. Técnica Gaga e repertório de Ohad Naharin e Repertório da peça "Genesis" de Sidi Larbi, com a própria companhia Eastman. Não