10 de novembro de 2018

Nós por cá


Andamos aqui todos aos trambolhões e a sensação que dá é que ninguém sabe o que anda cá a fazer.

Eu ando por cá perdida e não é lá grande consolo saber que há quem esteja ainda mais perdido que eu. 

Comecei por tentar seguir o negócio do meu pai - deixa-me cá ir para economia -; depois resolvi seguir o meu sonho de dançar - sofri horrores na faculdade de dança que até hoje me trans(t)formou -; tentei ser bailarina - pouco aconteceu -; tentei ser professora - começou bem mas acabei a ser acusada de falta de ética, profissionalismo e (não pela mesma pessoa) de não fazer coreografias interessantes o suficiente -; o desespero era tanto que ora deixa-me lá voltar à estaca zero e seguir o negócio do meu pai - .....

Não é preciso dizer como é que isso está a correr, tendo em conta o padrão visto aqui em cima, pois não?

Jinhos à prima,
Cisne

29 de outubro de 2018

Quando andava na faculdade...


...tinha uma palavra proibida:


...As regras para referências e citações.

Não me livrei dela e acrescentei duas novas...


(Tabelas de) Barbara Fewster.

Quero fugir!!!


Cisne

16 de outubro de 2018

Chico-espertice


Coisas que precisam de saber sobre esta história:

1. Eu odeio o meu suporte das escovas da casa-de-banho
2. O feitiço vira-se contra o feiticeiro

Ora bem, mudei-me há pouco mais de 6 meses para casa do meu namorado e tem sido tudo muito na paz do senhor: cedências para cá e para lá das duas partes e vamos andando com muita calma e tolerância (pelo menos na maior parte dos dias).

Mas havia uma coisa que me tirava o sono: o facto de ele ter num suporte relativamente pequeno QUATRO escovas de dentes.

Perguntei-lhe porque é que tinha tantas, tentando brincar com o assunto sem parecer OCD - acabei por me arriscar a ser ciumenta em vez de OCD porque a minha melhor ideia foi brincar que eram das ex-namoradas. Tenho que reavaliar as minhas estratégias...

Mas bom! Lá ele me respondeu que era por distracção, ia de viagem abria uma nova por ser mais prático, depois quando voltava estava no fundo da mala e lá abria outra, quando arrumava tudo nos sítios de repente tinha várias e já não se lembrava de qual era a mais usada. Então volta e meia ia trocando.

Eu na altura disse que ok, não fazia muito sentido mas que pronto eram SÓ escovas de dentes. Acontece que de facto para mim o SÓ não era SÓ. Voltei a falar-lhe nisso mais tarde e nada acontecia, mantinham-se lá 4 escovas de dentes MAIS  a minha. Tudo encavalitado no suporte e por vezes até cá fora porque ele não tinha paciência para encavalitar.

Numa de levar a minha avante e acabar com as escovas a mais, (sabendo que ele é muito esquisitinho com partilhar coisas mais pessoais), fingi "enganar-me" e usar uma escova dele, pelo que "aaaaaaaaaah, agora tem de ir para o lixo porque, que nojo, não vamos usar a mesma". E ele, pesarosamente diz "pois olha, que remédio...". O meu plano funcionou!! Bastava fazer o mesmo com as restantes e voilá!, acabar-se-iam as escovas de dentes duplicadas. Agora quando a coisa amainasse trataria de comprar um novo suporte para escovas pois aquele é feio e está velho.

É não é? Pois.......só que não. Chego a casa há duas semanas atrás e tinha um suporte NOVO (e feio) do lado dele e uma caixa com escovas NOVAS no suporte ANTIGO do MEU LADO. Ia-me dando um fanico. Perguntei-lhe e ele "oh, tu estavas sempre a enganar-te, assim não nos enganamos de certeza e temos back up!". Eu ia chorando, tanto esforço em vão e ainda por cima fiquei com o copo antigo. Não que o novo fosse muito mais bonito.......

Isto tudo para dizer, minhas senhoras: não se armem em espertalhonas como eu, porque o tiro sai sempre pela culatra (este não é o primeiro episódio deste género...........).

Obrigada e boa noite =P

Cisne

14 de outubro de 2018

Ai que me dá um fanico


Começou o trabalho, entrei no mestrado.
O último mês foi extremamente difícil de gerir, principalmente a nível pessoal, devido à área profissional.
Cada vez menos estou em casa e de cada vez chego mais tarde.
Mas, pouco a pouco, acredito que vamos conseguir gerir melhor e levar esta fase instável e tão trabalhosa a bom porto.
Hoje, porque ontem foi um final de tarde e noite espectacular com ele (uma vez que tenho aulas o dia todo), o que me preocupa mais sou eu.
Acordei super ansiosa por ter tido um sonho que já nem recordava qual era e assim me mantenho. Eu sei que ainda são 11h da manhã mas preocupa-me passar o dia todo assim - a enganar a minha cabeça fingindo que está tudo bem e continuando a empurrar para cima dela trabalho.
Porque a questão é que as consequências de tirar ""o dia de folga" sei bem que serão bem mais graves que obrigar-me a trabalhar agora - sabendo, claro, que nenhuma das hipóteses é boa.

Bom, desabafo feito, regresso ao trabalho.
Ainda tenho leitores? Ou já vos consegui deprimir e já ninguém cá aparece?
Oh well...I'll take my chances...

Cisne

25 de setembro de 2018

5 coisas que gosto em mim

Isto uma pessoa é muito invejosa! Vê as outras a fazer e pumbas imita logo. Portanto cá vou eu...


Da minha coragem em seguir em frente mesmo quando tenho todo um instinto negativista

Da minha perserverança em tentar continuar a tentar e tentar outra vez e mais uma.

De ser magra. Parecendo que não, facilita a minha vida em muitos aspectos.

De não ser anhada. Não gosto daquelas pessoas "moscas mortas" que não se entusiasmam com nada na vida...

Da minha capacidade de amar.


Feito. E vocês?? Escrevam no vosso blog e metam nos comentários o link para eu poder ir ver =) Isto é um exercício super saudável, não deixem de fazer!

Cisne

17 de setembro de 2018

"Acho que isto não vai resultar"


Este é o pensamento que me ocorre todos os dias, acerca do mesmo assunto, por variadas razões. Ou é pela minha irmã, ou pelo meu pai, ou por mim, ou pelo ambiente, ou pelo horário, ou porque eu não percebo nada de nada, ou porque me sinto inútil... Querem razões eu dou.

Este trabalho no sector automóvel...é bem provável que não tenha sido feito para bailarinas a passar por uma crise de identidade. Ou então foi feito precisamente para isso - para elas se deixarem de merdas.

Este pensamento tenho-o mantido cá dentro, bem guardadinho, numa de "deixa cá ver se consigo ser optimista em relação a isto e parar de me queixar tanto...". Pois. Esta é a terceira semana de trabalho e optimismo não descreve lá muito bem aquilo que eu estou a sentir. Mas é prosseguir, verdade? Não me parece que tenha outra alternativa. Para este ano foi a vida que escolhi.

Pela enésima vez: God help. (Este ano estou a precisar de muita ajuda...)

Cisne

Nós por cá

Andamos aqui todos aos trambolhões e a sensação que dá é que ninguém sabe o que anda cá a fazer. Eu ando por cá perdida e não é lá ...