Vai, mas volta

O texto seguinte é parte de uma letra que nunca consegui acabar, mas para a qual apliquei uma melodia.


Não deixes uma lágrima
Um rio, sem rumo.
Um oceano perdido sem água, sem rasto.

Não pegues um pedaço de terra
Sem, fazer dele um continente.
Não...


Um fio, um colar
Numa vida esquecida.
Num grave adeus de ida, sem volta.

Um caminho com revolta
Por, não saber quem seguir.
Não vás, volta...


(...Refrão??...)


Ao passar não hesites
Confia, em ti.
Crê que consegues, vai em frente, adiante

Assusta os teus medos além,
De, os passeares pela rua da vida.
Sim...


Cuidado não estará lá
Alguém, p'ra te ajudar
Além sim para t'esperar, então,

Corre para além bem depressa
Mas, não t'esqueças de mim.
Sim... Vai, mas volta.


Janeiro de 2008
*******************

Comentários

Anónimo disse…
Tenho muita sorte em fazer parte da tua tribo...sou um felizardo!
Parabens pelo teu blog...vou estar atento:-)

PP

Mensagens populares deste blogue

Demasiado

Brand New