Karma. Is it?



Passei aqui, muito muito rapidamente! Então vamos ouvir aqui um dia interessante, sha'll we?...

De manhã, nas escadas rolantes infindáveis do metro da Baixa-Chiado, estava uma senhora com uma menina dos seus 10 anos e um bebé num carrinho. Esta senhora (com o que me pareceu muita prática) arrastava o carrinho até às escadas rolantes e este ficava sempre virado para a pessoa atrás dela - nomeadamente eu. Ora, mesmo com o meu mau humor matinal fiquei a rir para o bebé o tempo todo, que ele era a coisa mais gira deste mundo, sem fazer birras a olhar para tudo quanto era sítio x) Enfim, então chegou a vez das escadas que não eram rolantes e a mulher já com toda a pujança para ir carregar com aquele carrinho sozinha. Eu, fiz a minha boa acção do dia e perguntei-lhe se precisava de ajuda. Ela muito aliviada aceitou e agradeceu. E lá fui eu toda contente da vida para a faculdade, que tinha feito uma boa acção!

O dia correu super bem e diverti-me imenso com os meus colegas que hoje pareciam ter snifado qualquer coisa de muito má que só faziam era falar à parva!

Except for... Quando ia a sair da faculdade eis que se me acaba a bateria. E eu ainda não tinha combinado com o meu padrasto como ia ser. Fantástico! Como é que eu descalço esta bota? Ora vamos lá comer aos Armazéns que não se pode pensar em coisas sérias de estômago vazio, não é? Pois depois disso procuro por um telefone público - não vejo nenhum. Desço até à menina das informações (que tem dois telefones em cima do balcão!) e pergunto-lhe se podia fazer uma chamada e pagava-lhe o dinheiro da chamada. Ela toda mal encarada (porque isto de trabalhar cansa muito os ossos -.-') responde-me que não mas diz-me que lá em cima, no SEXTO PISO!, há telefones públicos (e a mim só me apeteceu dizer - YOU BITCH!). Lá foi a Cisne subir tudo outra vez e eis que lá estão sim senhora os telefones QUE PRECISAM DE CARTÃO! E aí eu pensei "Eu vou-me a ela, eu vou-me a ela!".

Não me fui a ela; fui-me antes a uma rapariga no meio da rua, no caminho para o metro, a dar abraços grátis. A pobre da moça estava toda contente e simpática e eu despachei-a à força toda com um leve MUITO leve sorriso. Então pensei na correria ao metro (porque estava a ficar sem tempo para telefonar) que estava a ser estúpida! Ora então a Baixa-Chiado é uma Blue-Station PT, claro que vai ter um telefone de onde eu vou poder ligar!! Duuh... Pois!...........................NÃO HAVIA! A sério que estupidez! Um estação da PT que não tem um único telefone. Enfim, karma ou não por causa da menina dos abraços lá me decidi a ir para o metro e logo se via.

Pois foi aqui, entre estações, que perguntei a: não uma, não duas, não três, mas 4 moças se me podiam emprestar o telemóvel para fazer uma chamada. xD A certa altura comecei a achar que era mesmo má vontade... Quem é que hoje em dia não tem telemóvel?? Bom, lá a 4ª moça foi uma querida e lá me desenrasquei.

Quando cheguei ao destino, sentei-me à espera da minha boleia e, karma ou não, aparece-me um inglês:

- I'm sorry, excuse me... A little english?...Do you speak?
- Yes, I can.
- Oh, great! Can you tell me where can I find «Campo de jogos»?

Ó cum catano. Eu a querer mudar o karma a meu favor e agora não consigo ajudar o homem. Sei lá eu onde raio é o Salão de jogos! E pronto, lá mandei o pobre do homem ao centro comercial a ver se era lá e se não fosse...

- It's also an excelent opportunity for you to ask anyone if they can help you...


E pronto, voltei para casa com um dia super engraçado e aventureiro, na minha querida cidade de Lisboa, para contar. E é também a isto que eu gosto de chamar Karma.


Cisne.

Comentários

bécas disse…
E foi um dia e pêras!
bécas disse…
Obrigada pelos parabéns! (:

Mensagens populares deste blogue

Demasiado

Brand New