Tough day, wrong night

Este blog tem sido egocêntrico porque assim tem sido necessário. Entretanto hoje comecei a perguntar-me se é só o blog ou se o blog é um reflexo de mim mesma neste último mês e meio em Barcelona.

O P. não estava bem hoje. Ainda estou a aprender a lidar com ele quando não está bem, então ainda não faço as coisas muito bem. Há que dar o devido desconto dado que ele é uma pessoa super constante e fácil, esta deve ser a segunda ou terceira vez que o vejo mal em 6 meses. (Seis meses hoje, já agora...)

Mas hoje foi como... Ele não estava bem e eu ignorei... Ou melhor, lidei com isso como se ele não estivesse interessado em falar comigo. Mas a questão nunca tinha sido essa. Ele não estava bem para falar, ponto final. E ele, pobre, fazia um esforço para falar sem querer pois pelo que percebi só me queria ouvir... Mas quando eu falava distraia-se com alguma coisa (quem gosta de ser ignorado?). Então claro comecei a ralhar que tinha mais que fazer... E ele sem resposta. Devia ter percebido logo aí... Ele tem sempre resposta (a mais comum é «desculpa amor, tens razão» e tem acontecido tão pouco, ele está tão diferente comigo...). Está com a cabeça cheia de qualquer coisa. Perguntei-lhe o que se passava uma vez e ele respondeu nada. Erro nº2: não insisti. Ele está com a cabeça cheia de qualquer coisa. Parece-me do tipo de pessoa que se fecha mas que no fundo precisa de falar. Parece que se quer negar a ter problemas ou preoucpações e quanto mais o faz mais ansioso fica - não falar sobre isso só ajuda à festa maravilhosa que para ali vai na cabeça.

Bom, disse que lhe ia dar espaço para ficar sozinho, apesar de só podermos voltar a falar na próxima segunda-feira... Agora estou aqui a sentir-me mal por não me preocupar o suficiente para não insitir pelo menos uma vez. A questão é que... se estivesse ao lado dele saberia arracar-lhe a verdade ou até as preocupações porque um simples toque pode entregá-lo, ou um sorriso, ou até a voz... A proximidade facilita as coisas. Assim à distância ainda estou a tentar ver como fazer...

Mas a questão é que não sou só eu aqui. E acho que só não estivesse tão focado no meu umbigo que teria lidado melhor com ele hoje. E não lidei... A verdade é que só quero que ele fique bem e, não tendo ajudado nada, espero não ter piorado.

Fica o desabafo 1239.


Cisne

Comentários

Mensagens populares deste blogue

Da falta de coragem que descobri que tenho

O pós

Tenho um novo hobbie!!