Derivando...


Sinto-me à deriva no campo emocional.

Profissionalmente nunca me senti tão bem. Sinto que agarrei um desafio com unhas e dentes e estou a criar barreiras que à muito me impus e impuseram. E isto é óptimo, estou muito satisfeita com o desenvolvimento profissional que estou a experienciar. Sim, aquele que dizem que já é muito maduro para a minha idade, aquele pelo qual me dão 35 anos. Não o que eu tenho em falta...o emocional.

Enquanto o dia passa e estou concentrada tudo parece tão realista e deliciosamente bem. À noite, depois de banho tomado, cara lavada e pijama vestido, parece que despi sem querer uma coberta da alma. E aí não choro porque não me apetece chorar, já não penso porque já não sei o que pensar. Mas afundo-me numa tristeza que felizmente acaba cedo em sono profundo de tanto o cansaço.

Quem me dera ser mais forte e encontrar mais rapidamente respostas, das que só as há dentro de mim. Quem me dera estar tão segura a nível emocional como estou a nível profissional.


Cisne

Comentários

Mariana disse…
Sou uma desnaturada.. Fico sempre a pensar: tenho que comentar o blogue da Cisne.. Porque eu leio, mas raramente comento. O que escreves, para ser sincera, dá trabalho a comentar pois não se trata daquelas banalidades fáceis de comentar. Exige que pensemos. E eu prefiro não comentar do que comentar coisas sem grande sentido. Que é o caso de hoje. Estou a escrever e não digo nada de jeito mas sempre fica registado que me lembro de ti. Já não é mau! :p .. Olha, estás bem profissionalmente, isso é muito bom. Aproveita. Quem me dera estar assim. Agora não tenho nada planeado e ando à deriva. Preocupa-me isso. Quanto ao lado emocional também não sou a melhor pessoa para falar sobre isso. Mas concentra-te no profissional para o emocional aliviar. Resultou comigo enquanto estava a fazer o mestrado. Enfim.. Vai dando notícias! :)
Cisne disse…
Obrigada por comentares e por te lembrares, é sempre bom saber que não estamos sozinhos :) Vou seguir o teu conselho :)

Mensagens populares deste blogue

Da falta de coragem que descobri que tenho

O pós