E depois há dias assim...

...em que se eu não pulo de alegria é porque o meu pé lesionado não deixa; em que alguém especial viu que eu já não estava bem com o stress com a minha amiga Matemática, e me trouxe paz e sossego sei lá bem de onde e eu fiquei leve leve... Se bem que, nem começou hoje.



Foi ontem. O tempo estava mesmo cinzento. Era véspera de uma ficha importantíssima de Matemática e eu não estava a assimilar NADA! Estudava, tinha aulas de apoio, n-a-d-a. Já estava mesmo a estoirar. Foi então que decidi ir ao ballet porque se num dias me stressa, noutros ajuda-me a descomprimir e, principalmente, porque também tinha de combinar umas coisas com uma colega. Então, a caminho, resolvo ligar a uma "amiga" (já toda a gente sabe do meu problema com «amigos»). Não podia ter feito melhor coisa. Ri, ri, ri, dei na cabeça e ri mais um bocadinho. Foi óptimo! A seguir, veio então o ballet. Idém. Não sei se foi por já estar com aquela pre-disposição mas senti-me muito bem.
Entretanto, cheguei a casa, tomei um banhinho, vesti o pijama e finalmente fui estudar. N-A-D-A a ver. Aliás, arrisco-me a dizer que 2 horas de ontém à noite foram 2 vezes mais produtivas que o estudo da semana inteira.

E hoje, portanto, ficha feita (até agora ainda só me apercebi de 2 coisas mal feitas, uma delas por distração - como de costume - e a outra mesmo por não saber). Depois ainda me zanguei com a minha prof de AP que de vez em quando tem umas pequenas...falhas de memória. Mas, se seria regra noutro dia da semana ficar com a neura o resto do dia, quando saí da sala continuava leve. Pensei «óptimo!!».


Portanto:

- Balanço do dia: Finalmente POSITIVO!



Finalmente,
Cisne!

Comentários

Mensagens populares deste blogue

Da falta de coragem que descobri que tenho

O pós