Pós-«reset»


Se fosse doutra forma não era a minha vida e se a minha vida não fosse assim eu seria uma pessoa completamente diferente. Mas será que eu gosto de quem sou? Bom, não tenho gostar todos os dias... As noites são sempre mais difíceis. Porque de dia há muita coisa para fazer. Ou mesmo que não haja, há o sol e há um gelado ou um livro... Mas à noite, quando há moleza e não há vontade para fazer nada, a cabeça começa a fazer reset. Depois do reset tem de formatar e a formatação da noite consiste basicamente em relembrar todos os problemas que de dia pareciam não estar lá...

O que me afecta ultimamente não são as minhas acções mas sim os meus pensamentos. Estou constantemente a pensar no passado sem razão para isso. Constantemente a relembrar a minha infância;  pequenas e poucas memórias que tenho de quando os meus pais ainda estavam juntos (provavelmente algumas que implantei na minha cabeça, a partir de histórias que me contaram); rebelarias; parvoíces; textos e princípios que criei, que já tive e/ou que se mantêm... Nunca fui de me arrepender de nada que tenho feito e hoje essa é a razão pela qual não gosto de mim, não gosto da minha vida nem do que me tem acontecido. Não sei se estou a pagar por qualquer coisas... Não sei se é por dizer aos 4 ventos nos últimos 18 anos o quão feliz sou e quão adoro a minha vida, apesar de ter problemas como todas as pessoas normais, claro. S e calhar gabei-me demais... Ou se calhar continuo a gostar de tudo em mim e na minha vida e tudo isto é só a noite a pregar-me uma partida.

O que sei é da vontade que tenho tido nos últimos tempos de que, por algum milagre, alguém me indicasse o caminho melhor. No one did it so I made my choices. I 've made them and now I'm waiting...just not really sure of what for. Mas não saber o que fazer então é o pior. Eu?! Sem saber o que fazer...nem consigo explicar o quanto isso não combina comigo. A minha tia, em relação a isto, não é ajuda nenhuma mas diz uma verdade absoluta: isto é como ser adulto funciona. Agora já não há ninguém a tomar as decisões por ti. Agora são assuntos sérios e importantes e as decisões que tomares vão desenhar caminhos na tua vida e apagar outros que podiam ter existido. Agora as consequências são outras.

As minhas palavras arrepiam-me. Sinto-me tão...velha. É deste peso nos ombros que não sei muito bem porque carrego. Mas de dia tudo parece melhor...

Ainda bem que tenho este blog... Que me desculpe quem lê mas é nestas alturas que eu preciso de escrever desta maneira aborrecida, desinteressante e confusa na maior parte das vezes. Este é o meu refúgio na falta de melhor.


Vou dormir.  Nunca tenho pesadelos, vou descansada...
Cisne.

Comentários

Mensagens populares deste blogue

Da falta de coragem que descobri que tenho

O pós