A incerteza

 
"Penso que aos quinze anos, aos vinte, mesmo, a incerteza é o sal da vida, o tempero, a coisa que lhe pode dar mais sentido, mais valor… Não se sabe ainda o que vai ser, como há-de ser, onde estará, como estará, o que será, onde chegará… e na nossa idade é o que mais importa, porque vamos a descobrir tudo, vamos à aventura, a sentir o sangue correr-nos nas veias e a vida despentear-nos os cabelos como um vento alegre e franco. É como se ainda estivéssemos a jogar às escondidas, naquela emoção imensa de não saber onde seremos agarrados ou se chegaremos a salvo ao fim da corrida"

Faço minhas as palavras da C. do (DES)IGUAL

Cisne.

Comentários

Mensagens populares deste blogue

Demasiado

Brand New