Cada relação uma relação blá blá blá

A melhor coisa que fiz foi desactivar o meu facebook. Só tenho pena de ter de o activar outra vez por questões de trabalho.

Isto porquê? Porque não havia coisa mais fácil para o meu namorado que esperar que eu entrasse e dizer olá. Ou ignorar-me. Esta última era a mais recorrente. Agora, sem facebook. Há que ter um trabalho IMENSO de viajar até barcelona ligar o skype! Pois, é chato... Tem que se meter a password e não há lá mais ninguém com quem falar a não ser eu... E whatsapp? Ui, ainda pior que isso exigia ter um telefone nas mãos, mãos essas que não podiam estar no teclado do computador.

Não, eu compreendo perfeitamente que ele nãos e dê ao trabalho. É muuuuito trabalho! E ainda por cima estou doente, quem é que quer teclar 5 minutos com alguém que nem sequer pode estar muito tempo ao computador? É tudo para bem da minha saúde, sei bem. Aliás, bem vistas as coisas, ele não vai ao skype nem ao whatsapp porque uma pessoa doente e sem facebook para dizer que está doente, está socialmente morta, claro. Então nem vale a pena. Ele está, e muito bem, à espera que eu me decida a incluir-me socialmente. Realmente... a esquisita sou mesmo eu.

Mais. Que é isso de fazer perguntas? Não, fazes tu e eu respondo que isto de pensar em fazer conversa só para matar saudades não tem sentido nenhum. Ou ficar em silêncio 5 segundos só numa «deixa-me cá olhar para ti com olhos de ver» não! Credo! Que mariquice é essa? Quando pode ouvir tudo o que eu tenho para lhe contar (e que por esta altura já nem me apetece porque, lá está, sou maluca da cabeça) enquanto está a jogar com naves espaciais e futebol não sei quê! Pfff... por favor. Até eu sei que não sou tão interessante - hoje em dia uma namorada tem que ter luzinhas psicadélicas, sons vários e irritantes, desafios e o cristiano ronaldo... eu é que sou antiquada.

Enquanto tudo isto não se passa - sim, porque entretanto já passámos a fase em que eu, esquisita, tenho paciência para falar com alguém que está distraído (como se fosse possível falar comigo sem estar distraído!!) - estou alegramente a escrever este texto ao mesmo tempo que a minha colega de casa está a discutir incessantemente com o namorado quem vai desligar primeiro. Lá está, outros dois malucos a discutirem, mas só se estraga uma casa - ao menos isso, eu e o meu P.inho nunca discutimos, é tudo numa base de eu zango-me, ele não repara e eu esqueço-me (claro então, a minha relação também tem coisas boas).

Feito o sarcasmo, vou ali enfiar os corninhos na palha, esquecer o facto de que ele não querer saber se estou doente ou deixo de estar, de que lhe pedi para pelo menos me mandar uma mensagem todos os dias só para eu saber que ele está bem, ou de que estava curiosa (estúpida) para saber como lhe correu a reunião. Lá está, consigo compreender que o facebook seja mais interessante.


Cisne

Comentários

Mensagens populares deste blogue

Demasiado

Brand New