Karma


Acredito em Karma. Num balanço Universal. Que existe e se faz constantemente, mesmo que não consigamos ver os resultados. É como uma chapada que vem a seguir à outra como resposta: demora o seu tempo a vir, mas tu sabes que vem porque bateste primeiro. O Universo é muito maior, portanto o tempo de espera terá de se adaptar à escala, eu acho.

Hoje tomei a decisão de confiar nisto.

Escrevi há um mês atrás um e-mail carregado de ódio disfarçado de preocupação e boa educação. Quando me apercebi da sua verdadeira cara, parei de o escrever, Não queria enviar nada com ódio, nada com raiva, nada de tão negativo, fosse para quem fosse. Não por medo das consequências, mas por mim. Não quero viver com essa carga negativa. Não acredito que passa-la para alguém me fará sentir melhor. Acredito que cada um tem de lidar com a sua, com ou sem ajuda, mas não tem nada que a passar para os outros.

Depois da raiva, do ódio e de um sentimento de injustiça total, achei que ainda assim o conteúdo era importante e as pessoas deviam saber do que tinha acontecido comigo para prevenir que acontecesse também com elas. A preocupação e consciência tomaram lugar...felizmente.

Hoje tomou o karma lugar. Decidi eliminar o e-mail, já o fiz. Temo que o que me fizeram a mim só o fizeram porque deixei ou porque em qualquer parte da minha vida a desequilibrei e esse desequilíbrio me encontrou só agora, tão tarde que já nem me recordo dele. Ou então que este foi o desequilíbrio que será equilibrado um dia. Seja como for, acredito, não me compete a mim.

Iria ser mal interpretada, provavelmente. Ou até os meus alertas iriam ser vãos pois as pessoas não são eu, e não sendo eu não cairiam no mesmo erro que eu caí.

Bom, deixo-vos o direito de discordarem; talvez eu discorde daqui a uns tempos. Mas por agora tenho uma qualquer fé inexplicável e cada vez mais presente em karma, em equilíbrio, em constância.

Comentários

Mensagens populares deste blogue

Da falta de coragem que descobri que tenho

O pós