19 de abril de 2009

Cinco pérolas em teu rosto - Soneto


Os dias são meses quando te vejo,
Cinco minutos o segundo sem ar.
Cinco milésimas segundo o beijo,
Até que o sorriso cheguei a encontrar.

Mas porquê nem pouco sono almejo?
Porque continuo a escrivinhar?
Não é, eu sei, fingidor flamejo.
É-me querido continuar a lutar.


Com as cinco pérolas em teu rosto,
De olhos e de fronte chego a esquecer,
Pois a pérola branca está a meu gosto.


Na tua cova fui encontrar recosto.
Eternidades levei p'ra aprender,

Sempre as cinco pérolas em teu rosto.

04 de Março de 2009
************************

1 comentário:

lorena m. disse...

o soneto esta perfeito!! parabens..
bjx

Abandono

Este blog foi ao abandono...E não admira. Está tal e qual como eu: abandonado. Desde que uma colega minha entrou de baixa e o meu t...