29 de junho de 2011

Algarve!


Yeih!

Cá estou eu, encantada da vida, no fornozinho que isto está. A esta hora só em casa se está bem, mas deixem chegar as 16h30 que vão ver a menina a sair de caselas no seu lindo e maravilhoso vestidinho preto (liiiindo de morrer) que só faz é calor mas a gente quer lá saber disso :PP

Vou dando novidades por aqui mas não serão muitas porque estou de férias e então a ordem de trabalhos é: comer, ir à praia, comer um gelado, comer e dormir. E recomeça tudo de novo no dia seguinte. No entanto, acho que o pessoal cá de casa está com ideias de ir ao Aqua Show (ideia que a mim não me incomoda nada x) ) e de ir, antes dos anos do meu pai (e sem ele), a um centro comercial qualquer (tipo Algarve Shopping) para fazer umas comprinhas e para comprar a prenda dele (que só Deus sabe o que vai ser, todos os anos é a mesma coisa - . -')

Quanto à coreografia, é uma incógnita. Eu para fazer uma coreografia tenho que começar por uma improvisação, só de imaginar muito só de ouvir a música (se bem que às vezes também acontece). Se bem que, de qualquer forma, tenho sempre de executar os passos/movimentos dentro da música para saber se resulta tão bem como na minha cabeça. Pois...não sei como é que vai correr essa execução por aqui por casa uma vez que tenho ao meu dispor cerca de quê? 10m? Com móveis! Bem, não sei. Mas alguma coisa há-de me ocorrer.


Boas férias/trabalho/estudo/exames para vocês,
Cisne.

27 de junho de 2011

Exame Nacional - Round III - Ballet


Oh, que mal. Que mal que mal que correu e estudei tanto =(

Estou deprimida mas mesmo. Não consegui começar a treinar hoje para as provas da ESD e amanhã já vou para o Algarve. A única coisa boa de hoje foi só mesmo um mergulhinho na piscina que, vamos ser honestos, soube muito bem.

Agora estou na casa da mamã para ver se os 15 dias com o meu pai no Algarve não lhe apertam tanto o coração. E a mim também... Ela anda cheia de dores de costas e quanto mais a vejo mais penso que isso vou ser eu daqui a uns anos. Por herança, tenho péssimas costas, tenho péssima postura e só penso que vou ser uma velha que só faz é queixar-se de "Ai os meus rinzes" ou "Ai as minhas cruzes" (não que seja de todo o caso da minha mãe).



Em relação ao espectáculo... Foi bom, como todos. Eu detesto exames, detesto, odeio! Mas adoro espectáculos. O frenesim, o tremelique, a rapidez, a adrenalina, as palmas, a luz a incidir sobre nós, o som, a espera... Tudo. Tudo no conjunto é uma sensação óptima e tenho muita pena que só algumas pessoas possam senti-la. Eu sinto-me espectacularmente felizarda por sentir tudo isto e dar-me ao luxo de ter pessoas a fixar a sua atenção numa coisa que eu não digo, que eu não vejo, que eu não simplesmente faço, mas que eu danço. Dançar um solo foi isto mesmo: sentir o meu trabalho reconhecido, sentir que o meu amor à dança me levou a uma coisa tão espectacular quanto esta - um solo. Espero que seja o primeiro de muitos, até porque espero que este não seja o melhor.

Para ser sincera, este solo tinha uma coreografia...mole. Hum, outro adjectivo: vulgar. Fiz precisamente a mesma coisa que faço desde que entrei para o Ateneu, os mesmo saltinhos, os mesmos passinhos... E a música era tão boa! Foi um desperdício. Era toda por igual, com o ritmo certinho... E toda a gente sabe o que acontece quando se junta uma música certinha com uma coreografia certinha: booooriiiiiiing - . -



Mas pronto, como este deve ter sido o meu último espectáculo no Ateneu Artístico Vilafranquense (uma vez que, ou entro na ESD, ou vou procurar outra escola para o ano lectivo que vem), deixo aqui um enorme agradecimento ao que ele fez por mim. Desde o minuto em que meti um pé dentro daquele edifício que senti a sensação de «ok, isto vai ser grande». Do género, isto é uma grande mudança. E foi. E mudou-me; transformou-me numa bailarina melhor, mais instruída e numa pessoa mais atenta, mais afiada, mais...you know...eu. Acho que naquele ateneu defini uma nova parte da minha personalidade. (Isto porque acerca da personalidade eu acho que temos uma parte que é fixa, que por mais que queiramos ela nunca vai mudar, e depois a que vai surgindo de sítios que nem sequer sabíamos que existiam.)



E agora, meus amigos, agora é Algarve e tirar uns dias para descansar um pouco do estudo e da obsessão com que fico quando tenho exame - não vejo mais nada. E isso mete-me a mim louca e a toda a gente à minha volta até estes explodirem porque já não me aguentam e dizem «ACALMA-TE!», para de seguida eu os enervar com um sincero «Eu estou calma.», na minha voz mais tranquila lol

Bem, deixem-me agora desfrutar do sofá da Casa do Monte e da sua televisão com cabo e HD *.* Acho que já nem sei muito bem o que é que é isso de tv cabo *.*


Portem-se bem!,
Cisne.

P.S.- O meu namorado estava no Algarve no dia do espectáculo e estive uns bons dias a chatea-lo que era o meu primeiro solo e ele não ia ver, que podia ter adiado as férias e nem se lembrou e eu já tinha dito a data à tanto tempo e mimimimimi. Pois é, o menino armou-se em esperto e «ah e tal está-se tão bem aqui na praia» e afinal estava a assistir na plateia. Só depois do espectáculo veio ter comigo aos camarins :):) *.* Se tivessem visto a minha cara... Eu também não vi mas deve ter sido qualquer coisa de «naaaaa, não pode ser, ele nunca tinha tempo. Naaaa » *.* Tenho o melhor namorado do mundo. Roam-se de inveja :PPPPP

26 de junho de 2011

Já está!

Aurélie Dupont


O meu espectáculo foi hoje às 17h30. Correu bem em geral, não houve muito erros, mas a mim correu-me particularmente mal.

Acho que nunca me vou esquecer da 1ª vez em que fiz um solo em palco, mas não sei se o lembrarei pelas melhores razões. Agora estou um bocadinho cansada para falar disso mas talvez depois vos conte tudo, se me quiser lembrar ou tiver vontade de falar.

Deixo apenas as minhas dores nos pés e o meu cansaço, como prova do meu trabalho e como prova de que não há papéis pequenos, mas bailarinos pequenos. E eu (atrevo-me a dizer) fui grande.

Meus pequenos, amanhã às 9h vou estar a fazer exame de Matemática. Desejam-me sorte? :)

Um grande abraço a todos que eu hoje estou nostálgica,
Cisne.

25 de junho de 2011

Come to momma...

Cisne.

Cansada



Lembram-se quando eu andava indecisa com a história do fundo do meu blog? E andava sempre a trocá-lo porque não conseguia decidir de qual gostava mais? Pois acabei por acalmar os ânimos e deixar estas lontras derretidas na água. Só que agora já me está a dar a travadinha outra vez e cheira-me que as moças não vão ficar por aqui muito tempo - . -' lol.

Entretanto o dia de hoje foi mega cansativo. Desde explicação de manhã, a quase 6h de ensaios, houve de tudo para fazer. E os meus pés coitaditos enfiados em pontas o dia toda, claro que chegaram ao fim a pedir misericórdia...E eu também! -.- Vamos ver como corre amanhã. Pelo menos parece-me tudo encaminhado...

Já tomei uma decisão: vou fazer exame de geografia em 2ª fase, dia  25 de Julho e seja o que Deus quiser.

As notas de 1ª fase saiêm a 15 de Julho e eu cá estarei ansiosamente aguardando pelos resultados :p

E vocês minhas amoras, como vai a vidinha? Uma corrida como a minha?


Cisne.

24 de junho de 2011

Tenho um feeling que o exame de matemática me vai correr mal e que é um erro deixar o de geografia para segunda fase...

Just hope, really really hope, I'm wrong. Reaaly hope



Cisne.

Bad day, baaaaad day

Bad day... Oh, bad bad day...


Exame Nacional - Round II

Ok, exame de Inglês: Check! E tanto quanto sei foi bem "checado" lol. Fiz assim uma perspectiva mais ou menos péssimista e deu-me 17. Portanto, tudo o que vier acima disso é ganho :D Tudo o que vier abaixo já é uma desgraça porque agora já tenho as expectativas altíssimas. Bom, logo vos digo ;)

Up Next: Matemática. Entretanto, já fiz questão de ligar ao Júri Nacional de exames e acontece que o mais provável é fazer exame de geografia de 2ª fase, faltando à 1ª para contar como 1ª fase. Se o fizer, então isto significará que vou perder um diazito ou dois de férias com a minha mãe mas pronto... podia ser pior e ela, como é a mãe mais fixe do mundo, disse logo que eu tinha de fazer o que é melhor para mim e, neste momento, eu não quero saber de férias para nada, quero é boas notas e entrar na faculdade :)

Bem, hoje vou entregar os papéis de Inscrição às provas da Superior de Dança e vou ver uma possível casa para mim e para a minha irmã em Sta. Ingrácia, Lisboa. Isto só depende do meu pai que ainda não viu a casa e, muito provavelmente não vai gostar dela . Enfim... Wish me luck!!


Cisne.

P.S.- Já agora, já viram o sol esplendoroso que despontou hoje? Adoro dias assim... :)

21 de junho de 2011

Exame Nacional


 Exame de Português: Feito.

Estive a ver a correcção e...bem, não sei, sinceramente não sei. Numa perspectiva péssimista deu-me 94 pontos. Portanto, tudo o que vier a mais é muito fixolas. Agora Sr. examinador, tenha lá do de mim que eu sempre detestei Ricardo Reis. Teria sido tudo muito melhor se me tivesse trazido o meu bucólico preferido: o sr. Álvaro de Campos. Isso é que era...

Enfim, vamos ver no que dá. Se tiver acima de 12 nem sequer penso em 2ª fase (acho eu). Logo se vê.

Entretanto, o meu prof de dança está a dar cabo de mim com as suas ideias extravagantes de fatos para o espectáculo + ser em cima da hora + ninguém me ter avisado que já não dava para comprar na loja habitual + termos de usar o do ano passado (que muito mal me serve). E tudo o que eu não precisava agora eram estes stresses todos porque estou a meio de exames que vão definir o curso que o meu futuro vai tomar (ou pelo menos parte dele). Krr

Enfim, next: Exame de inglês, here I come!!



Jinhos à prima,
Cisne.

14 de junho de 2011

Não sei como acontece

Quando nos chateamos com uma das pessoas de quem mais gostamos neste mundo é mau. Mas quando nos chateamos por concordarmos mas só percebermos isso no final da conversa, depois de já estarmos num tom exaltado e condescendente, tenho que dar razão à minha tia:

Damn!

Cisne.


P.S.- Que dias...Mas nem me apetece falar sobre isso. Tenho só a dizer que, até hoje, estas são as duas semanas mais longas da minha vida. Que ansiedade incontornável por causa da m***@ dos exames nacionais, vestido para o casamento, papéis de pré-requisitos, exames, coisas de mulheres, etc etc etc etc etc etc etc etc.........

Para os bailarinos:

Espero lembrar-me sempre disto.


"A maior inimiga de uma bailarina: a soberba

Também conhecida como orgulho, ela derruba mais que fouetté fora do eixo. Nasce sem querer, no meio de uma aula em que sua perna subiu mais que a perna da colega de turma. Ou de uma pirueta limpa e bem-feita, enquanto a bailarina ao lado se desequilibrou e quase caiu no chão.
Consegui ver daqui uns sorrisos no canto da boca, surgidos involuntariamente, enquanto vocês imaginaram o que acabei de descrever.
A soberba só existe porque nos comparamos com os outros. Uma pessoa isolada numa ilha sequer saberia o que é. Não haveria com quem se comparar. Não haveria medida.
A meu ver, a nossa derrocada no ballet clássico começa quando olhamos para o lado. Quando queremos ser melhores que todos os outros que estão presentes. Quando nosso grande oponente usa coque, presilha no cabelo, meia-calça e, olha só!, quer o solo com o qual sempre sonhamos.
Não sou de contar detalhes da minha vida pessoal, mas, neste caso, cabe ao post. Eu não sou uma pessoa competitiva. Nunca fui. Tampouco disputei algo com outra pessoa, seja emprego, homem, papel principal em peça de teatro, atenção. Nada. Todas as minhas conquistas vieram porque tinham de vir. E as perdas, algumas vieram porque joguei a toalha e me recusei a entrar no ringue.
Os louros não enchem os meus olhos. Elogios públicos não me encantam (tampouco os elogios privados). Títulos e cargos não me fazem suspirar. Eu gosto de percorrer um caminho. A chegada não me interessa, não quero erguer a taça e receber a medalha. Gosto de olhar para trás e ver as sementes que plantei dando frutos e flores. Parece demagogia, mas não é.
Por que penso assim? Sempre haverá alguém um degrau acima de nós. Sempre haverá alguém um degrau abaixo de nós. O nosso lugar dependerá da bailarina com quem compartilharemos o palco: a Svetlana Zakharova ou a colega de turma nota 6. Não é uma vida angustiante, não saber em qual momento estaremos no topo ou lá embaixo? Não é saudável viver como se estivéssemos constantemente numa trincheira, prontos para atacar.
Quem vive numa eterna disputa pode chegar ao apogeu. Geralmente, chega. Mas seus louros sempre derivam da humilhação de alguém. Pensem nisso.
Sinceramente? Eu vejo beleza na singularidade.
A sua perna não alcança a sua orelha? A da Natalia Makarova também não. Você não é en dehors? Margot Fonteyn também não era. Você não é alta e esguia? Anna Pavlova também não era. Você não é bela e, além disso, é vista como uma bailarina mediana? Agrippina Vaganova te entenderia.
Todas fazem parte da história do ballet clássico. Mas em vez de chorarem pelos cantos, foram atrás daquilo que as fazia singulares, únicas, artistas incríveis. Trabalharam para isso. E quem está focado  no próprio caminho não tem tempo de olhar para os lados.
Sinceramente? Estou cansada de pessoas que passam a vida contabilizando os próprios feitos, como se estivessem eternamente em uma acirrada competição. Suba no palco e dance. Dance! É ali que reside a alma de um artista de verdade. E isso nem todo mundo está preparado para ser. "

Do blog: http://dospassosdabailarina.wordpress.com/
 
Metam este texto na algibeira, sim meus queridos? :
 
 
Cisne.

12 de junho de 2011

10 de junho de 2011

With the blues...



Ontem foi o Baile de Finalistas. Eu não fui e pensei em ficar em casa a deprimir. Não foi em casa, mas deprimi na mesma. Mas mais deprimente ainda é ter estado à 2 minutos atrás a ver fotografias dos vestidos das minhas colegas no facebook. Isto porquê? Porque um dia depois de deprimir pensei que merecia uma tarde de compras no Dolce Vita com a minha mãe e irmã para procurar um vestido. Pois é, fiquei ainda mais deprimida.

Não só não encontrei nada que tivesse a ver comigo, como também já não sei o que me fica bem. Dantes não tinha este problema. Dantes tinha 44 quilos, tudo me assentava como uma luva, eu era um 32 e a cor do vestido não era um problema, desde que não fosse rosa-choque. Hoje não pode ser:

  • Rosa-choque;
  • Preto (porque é para um casamento);
  • Branco (pela mesma razão);
  • Uma cor garrida (pelo falecimento do meu avô);
  • Cai-cai;
  • Decote redondo perto do pescoço;
  • Curto;
  • E tem de ser adequado à minha idade. Ou seja, nem demasiado adulto, nem demasiado criança. Uma treta.
Portanto, estou deprimida. Deprimida porque engordei, deprimida porque não consigo emagrecer, deprimida porque o meu tutu branco já não passa as coxas, deprimida porque não encontro um vestido para o casamento, deprimida porque amanhã vou cortar o meu cabelo e tenho medo que esteja tão estragado que tenha de cortar uma enormidade, deprimida porque não tive baile nem viagem de finalistas, deprimida porque as aulas acabaram mas os exames ainda me têm de chatear a cabeça, deprimida porque não me deixam dormir até tarde um único fim-de-semana. Ou é jantares ou é almoços ou é vigílias ou é missas ou é procissões ou é aniversários ou e feiras ou é ballet arghh!!

Deslarguem-me!!


Cisne.

8 de junho de 2011

Manjericos



Não é que a minha veia poética, num zum zum de pressão deu ao de cima? Ah pois é, meus amigos, fiz uma data de quadras para meter nos manjericos que vou vender pelo Grupo de Jovens Católico de Alenquer - "Espírito Jovem". São sobre as Festas dos Santos Populares, como convém. Ora então aqui vão:


Lisboa está num frenesim,
Portugal em festa.
Depois de juntar à espiga o alecrim,
Não há maior alegria que esta.
---
É este o nosso povo!
Camões bem o cantou.
Na festa dos Santos populares se viu:
O orgulho em Portugal soou.
---
Santo António seu malandro,
Andas a casar os pares.
Todos agradecem cantando
A tua alegria nestas festas populares.
---
Santo António é casamenteiro
E junta casais por puro gosto.
Na festa dos Santos Populares,
A paixão dos casais é fogo por ele posto.
---
Tragam o vinho e a folia
Que fazem parte deste dia.
Tragam a família e a'legria.
Sem elas o que das Festas seria?
---
Lisboa ilumina-se para os Santos Populares;
São eles a razão da festa.
Santo António junta os pares
E nós erguemos os seus placares.
---
É dia de comprar manjericos;
Manter a tradição como deve ser.
Aproveita e ajuda o Espírito Jovem,
Que para Madrid quer ir conviver.
 
Que me dizem vocês? Vende ou não vende? Bem, se acharem que sim, Sábado à tarde, no Bodo, apareçam Alenquerenses, no Parque Vaz Monteiro que lá estaremos na nossa barraquinha a vender! :)


Cisne.

P.S.- Adoro estas tradições da minha terra. Dão-me um sentimento de pertença e unicidade tão bom...

6 de junho de 2011

Finalmente!


Começo a sentir melhoras em relação à minha saúde. Nos últimos 6 dias, o meu estado tem passado por, basicamente, aftas e dor de ouvidos, não conseguir comer, não conseguir falar, mau feitio, impaciência, etc etc. Finalmente começo a sentir melhoras, já estou a conseguir comer coisas mais sólidas e já só o ouvido é que me fez passar a noite passada em branco. Mas acho que esta noite dormirei melhor.

Entretanto, com tudo isto não pude contar-vos que voltei às origens! O que é que isto quer dizer? Quer dizer que no Sábado de manhã aproveitei que não ia ter aula de ballet em Santarém (agora já não tenho porque já fiz exame) e enchi-me de coragem: fui fazer uma aula à terrinha, com a minha primeira professora de ballet.

Foi muito...esquisito. Primeiro, porque parecia tudo igual a quando deixei - e estava! As miúdas evoluíram muito pouco ou nada, as danças e as músicas utilizadas basicamente são as mesmas, continua a haver mais conversa do que aprendizagem e (desta lembro-me TÃO bem) as miúdas parece que estão num tédio de aula, não riem, não falam - e eu era assim também mas ainda hoje não faço ideia porquê, uma vez que nós nos dava-mos todas bem... é um mistério. Continua tudo mais ou menos igual.

Em segundo, porque contei à prof F. da minha intenção de seguir dança na Superior (onde também ela fez) e ela quase me desencorajou a não o fazer. Basicamente foi "Se queres um conselho, se fores fazer esse curso, faz porque gostas e não como futuro"; enfim, fiquei logo desmoralizada.

Por último, porque...sei lá. Parecia que eu já não tinha lugar ali - e não tinha. E foi um bocado um choque porque eu estava à espera de uma evoluçãozita em qualquer coisa. Qualquer coisa... No chão, na mentalidade, nas miúdas... Sei lá! Qualquer coisas... Aquele chão é péssimo. Ah, mas uma coisa eu devo dizer! Elas estavam melhores nas pontas. Quando eu saí elas estavam mesmo mesmo no início e agora já se dão melhores mas ainda estão muito verdinhas.


Tirei uma coisa boa desta visita: passos que já tinha esquecido. É que a minha professora ela não tem ideias muito diferentes das do meu tempo mas as do meu tempo eram muito originais. Então, como eu já os tinha esquecido, isto proporcionou "novas" ideias para a minha coreografia - espero não esquecer.

Bem, deixem-me ir porque apesar de estar na recta final das aulas ainda tenho algumas coisas para fazer.


Jinhos à prima,
Cisne.


P.S. - Ainda não tenho vestido para o casamento dia 18 de Junho. Damn it!

5 de junho de 2011

Sou um burro stressado!



Alguém tem por aí um remédio milagroso para aftas?? É que os meus não estão a resultar: Ulcerin, aulin, Piralvex e uma coisa que eu não sei muito bem o que é mas que me deixa a boca toda dormente.

Pleaase? Estou desesperada, preciso de comer outra coisa que não sopa e iogurtes!! - . -' Krr


Cisne.

Estive a pensar...



... e só não posso dizer que tenho o melhor namorado do mundo porque não conheço o mundo todo. Não sei como é que ele me atura mas é fantástico. Há medalhas para isso? Vou investigar...


Cisne.

4 de junho de 2011

Não me sinto...

...Inspirada. Estou em baixo. E o que mais não consigo dizer em palavras, fica em imagens.







Cisne.

Abandono

Este blog foi ao abandono...E não admira. Está tal e qual como eu: abandonado. Desde que uma colega minha entrou de baixa e o meu t...