30 de dezembro de 2014

Uns trapos do meu estilo

Amanhã é dia de ir aos saldos com a minha irmã!
Vou andar mais ou menos à procura disto...
(E do meu dinheiro...)







Cisne.

Amigos, amigos, opiniões à parte...


Hoje disseste-me:

- Ai mulher, venha o próximo!
- O próximo? E se não houver próximo?
- Ai credo, claro que vai haver!
- Credo, porque é que não acreditas que possa ser mesmo Ele?
- Porque já muita coisa aconteceu. E porque entretanto de acomodaste, te contentaste.

Eu não sei se eu estou louca, se estás tu... Eu não vejo nada disto desta maneira, como tu vês. E as tuas palavras magoam tanto às vezes... Que tu olhes para mim e vejas alguém inseguro, que se contenta, que acha que não arranja melhor. Não, C.! Eu já não sou essa pessoa. Eu não me contentei com nada. Eu lutei pelo que quis, eu construí uma relação e adaptei-me a uma pessoa e ela a mim porque achámos que valíamos a pena. Eu gosto MESMO da pessoa com quem estou. Não estou só por estar. Estou porque acho que mereço alguém como ele. E ele alguém como eu. E claro que temos as nossas diferenças e que trabalhamos para nos adaptar, mas não é assim que deve ser? Acreditas mesmo em alguém completamente perfeito com quem se dá imediatamente "o clique"?? Eu não... Eu acredito em pessoas boas. Que se preocupam contigo e querem saber de ti. E ele quer, ele gosta MESMO de mim. E gostava que pudesses acreditar que estamos bem juntos. Pode não ser para sempre, mas que se for não é nenhum crime, e gostava de ter o teu apoio de vez em quando...

Gaita, deixas-me em baixo com estas conversas...


Cisne

29 de dezembro de 2014

Resoluções de ano novo!


- Ganhar músculo, a.k.a. deixar de ser tão preguiçosa, meter-me num ginásio e parar de comer como se não houvesse amanhã -.-'

- Fazer uma vida totalmente independente. Pode ser mesmo no finalzinho do ano. E até pode nem acontecer, que sou nova e não tem problema nenhum, mas pronto...coise...era fixe :)

- Fazer PELO MENOS uma viagem ao estrangeiro. Se não a fizer que seja por falta de dinheiro e não por falta de tempo ou companhia. P'amor d'eus!!

- Ser uma pessoa mais tranquila, paciente e tolerante.

- Gostar cada vez mais da minha própria companhia.

- Mais formação, na minha área ou noutras.

Vamos lá a isto! Este ano fiz uma lista bem ambiciosa! Pelo menos ao que estou habituada... Vamo' lá ver do que sou capaz em 2015 :)


Cisne

2014, I just want to tell you this: you broke my world, made me stronger, Thank you.



Tinha que vir o típico texto.... Aguentem-se! :)

2014 foi caóticamente fantástico. Como a maior parte dos meus anos. Comecei dois mil e catorze com um namorado fresquinho que estava prontíssima para abandonar brevemente...

 - Ainda estamos juntos

Fui para Barcelona cheia de medos. De perder a pessoa com quem estava, de não gostar do curso lá, das pessoas, dos meus colegas de casa, das saudades...
- Sim, perdi lá a pessoa com quem estava mas ganhei um namorado, a mesma pessoa tornou-se, de facto, no meu namorado. E absolutamente adorei a experiência Erasmus e tudo o que a envolveu, antes, durante e após. O que eu ganhei foi tão mais do que perdi :)

Durante o tempo fora de Portugal, uma ânsia exaustiva de acabar o curso e não ter trabalho, a par de voltar e de já não ter os meus amigos à minha espera.
- Comecei a trabalhar uma semana após o regresso e os meus amigos...adivinhem? No mesmo sítio =)

No trabalho de Verão todo um caos instalado, muita ansiedade, muito medo de não estar à altura do desafio.
- Foi a melhor oportunidade que tive na minha vida depois de Erasmus. Conheci pessoas fascinantes, desde professores a alunos, funcionários, a pessoas da aldeia onde dava aulas. Impressionante o quanto aprendi e ensinei em um mês e meio.

«E agora, meu Deus, que só estou a dar aulas, como é que vou arranjar mais trabalho??»
- Proposta de trabalho aparece, a ganhar bem embora a trabalhar muito. Estou actualmente a trabalhar num teatro em Lisboa.

Um stress danado para acabar o curso. E «não vou conseguir...», e «só tenho azar nesta vida!», e «vou precisar de um milagre!!», e «mas porque é que só isto é que me acontece a mim???». Foi todo um crescendo de desespero desde Setembro a Dezembro.
- Estou licenciada. A muito custo, verdade, verdadinha, que o meu professor fez-me a vida negra e disse tudo o que podia e até o que NÃO podia mesmo ter dito, para me deitar a baixo. Mas cá estou :))

Se houve coisas más? Sim, claro que sim. E tantas credo... Então para o final do ano parece que tudo aconteceu. A saúde atacou no início do ano e a família desde o meio até ao fim. Mas não faz mal. Porque 2015 vem aí. E se vier num balanço tão positivo como o de 2014 óptimo. Se vier com um balanço mais equilibrado, também está bom (que a malta também anda a precisar de descansar um 'cadito). Mas que não venha negativo, vá. Que isso não tinha piada nenhuma. Eu sou a sortuda da família, há que manter o status!


Cisne.

P.S.- Senti, não me perguntem porquê, que devia escrever aqui o nome de todos as pessoas importantes do meu 2014, como que um obrigada por todas as coisas boas e más pelas quais me fizeram passar, porque todas elas que me fizeram crescer e ser a pessoa que sou hoje, uma pessoa de que gosto e sei apreciar:

Fátima
Rosa
Diana
Pedro
Luís
Francisco
José
João
Victor
Nuno
Simon
Santiago
Leonor
Natasha
Carolina
Gonçalo
Margarida
Lucas
Catarina
Can Berck
Monika
Raquel
Eevi
Ece
Jesus
Daniela
Anna
Alex
Igor
Maria
Marta
Michael
Maria
Filipa
Miguel
Melody
Bárbara
Amélia
Bárbara
Inês


E que a lista se mantenha em parte! (principalmente a parte boa!!)

21 de dezembro de 2014

Eu espero que seja da pílula...



Porque estar sensível a ponto de chorar baba e ranho, porque a faca não cortou bem o pão caseiro que a minha mãe me deixou em casa, não é muito normal.

Ai credo. Venha esse 2015 pá, que este final de ano está para esquecer!!

Cisne

17 de dezembro de 2014

Eu...já...não sei...nada.

Só por hoje... não fui capaz. Hoje não foi esse dia. Mas têm sido e estou orgulhosa por isso. Por manter a calma com ele, por não lhe falar mal, por pedir desculpa, por respirar fundo e não dizer tudo o que me vai na alma. Hoje foi o dia em que eu lhe disse: tu mudaste, mas não foi o suficiente, e para mim nunca há-de ser.

Eu hei-de boicotar todas as relações em que estou enquanto não resolver o que há para ser resolvido comigo. Se eu tenho estabilidade emocional para ficar sozinha neste momento? Não, não tenho. E por isso mesmo sei que não vou acabar amanhã nem daqui a um mês, provavelmente nem daqui a três. Mas há uma parte que falta nele. Ou se calhar há uma parte que falta em mim que ele não consegue preencher. Seja como for um dia deixa de chegar. E eu vou ter de parar de lhe pedir o que ele não tem para dar.

Um dia chega. Mas só por hoje...só por hoje vou-me deitar a sentir-me menos um bocadinho. A sentir que não valho a pena a luta, que não valho a pena o esforço, o trabalho, a preocupação, que não valho sequer a conversa que ele não quis ter comigo.

Sei que ele não me entende. Sei que ele olha para mim e vê alguém de quem gosta muito mas que não entende nada, que não decifra nada; e que quando acha que já percebeu lá venho eu dizer-lhe que nanananinanão, não percebeste nada. O mesmo comigo. Sei que não o entendo, sei que não o decifro. Sei que não o conheço. Sei que já vi muito mais dele do que a maioria das pessoas mas sei que consigo perceber o que ele pensa ou sente tão bem como as outras pessoas.

Ele é um amigo fantástico, com uma paciência extrema, com um carinho imenso. Mas que não tem ele a estabilidade emocional para cuidar de alguém ao mesmo tempo que se deixa ser cuidado. Sim, para mim uma relação amorosa tem de ter cuidado, tem de ter atenção. Muitos discordarão de mim - é válido. Tal como é válido eu querer encontrar alguém que penses como eu, que procure a mesma coisa.

Cisne

So...

...I'm back! Finalmente. Sabem quando passamos tanto tempo sem vir ao blog por ummotivo (ou vários) e depois quando já podemos ...