30 de janeiro de 2014

Fomos ver um espectáculo

Fomos ver um espectáculo.
Chorei
Abracei os meus colegas
Chorei
Abracei a C., que perdeu o bebé
Vi toda a gente a chorar
Limpei as lágrimas.
Fiquei com febre
Fiquei mal disposta
Tomei o medicamento
Ele fez-me o jantar
Dormitei na sala
Acordei
Jantei
Hmmm...delicioso, adoro o arroz que ele faz.
Senti-me melhor.
Vimos uma série
Falámos à parva
Falámos a sério
Falámos de Barcelona
Falámos da próxima semana.
Entrámos no carro
Falámos à parva
Rimos à parva
Cantámos à parva
Contámos piadas estúpidas
Parei o carro
Despedimo-nos
Ele apanhou o barco
E eu sorri...todo o caminho até casa...

Pode ser difícil... e é... muitas vezes é e muitas vezes a culpa é minha. Mas a verdade é que ele faz-me apaixonar por ele de cada vez que regressa. Quem não se quer apaixonar outra vez de 15 em 15 dias?


Cisne

28 de janeiro de 2014

Sinhora porfessora, que é como quem diz ó stôra!

 Sou uma professora babada. As minhas alunas são excepcionais. Cada uma escreveu uma carta para mim, com as coisas mais bonitas que já me disseram em toda a minha vida. Sou tão sortuda. Conheço e conheço a cada dia que passa mais pessoas extraordinárias. E que estas pessoas extraordinárias nunca parem de me surpreender.






Cisne.

23 de janeiro de 2014

Hoje, o dia de sorrir

Hoje o dia está a ser mesmo a sorrir. E nem de propósito tanta coisa correu mal. E enervei-me e chateei-me e esqueci-me completamente do que tinha escrito aqui. Mas não faz mal. Porque mais do que com problemas chatos e zangas, esta vida abençoou-me com amigos, namorado e família fantásticos que durante todo o dia de hoje me lembraram que tenho muitos motivos para sorrir.

Este post é para todos eles. Por me ajudarem a lembrar de que tenho muitos motivos para sorrir. Obrigada =)


Cisne.

22 de janeiro de 2014

Uma brisa sorridente


Esta tarde saí de casa e senti uma brisa tranquila e optimista. Têm sido dias maus... Estou farta de desentendimentos e palavras pela metade. Estou principalmente farta de não ser eu. E ultimamente não tenho sido outra coisa. Hoje tive esta conversa com uma aluna:

"- Ai stôôôra, eu sou muuuuito ocupada!
- Aaaaai aluna, se tivesses a minha vida ias ver o que era ser ocupada
- Aaaai stôra mas quem me dera fazer a vida a dançar!"

Como ela tem razão! Uma miúda de 16 anos lembrou-me de uma coisa fundamental para mim e que em tempos eu soube e lembrava-me frequentemente. O que me aconteceu afinal? Vou mesmo deixar que o meu namorado ou seja o que ou quem for dar cabo de mim assim? É que nem pensar. Amanhã é outro dia e amanhã será o dia de sorrir aconteça o que acontecer. Já decidi!


Cisne.

Ontem


Ontem houve uma série de "primeiros" para nós. Foi a primeira vez que falámos ao telefone depois de uma semana inteira sem que eu tivesse vontade de o fazer. Foi a primeira vez que ouvir-te não me deu um alívio mas um mau pressentimento.

Foi também a primeira vez que disseste "eu percebo, mas não concordo", "nunca senti nada assim por ninguém e não me interessa que não acredites, é mesmo verdade" e "não vou desistir de ti". Nunca me tinha dito isso... Que lutar por mim fazia sentido para ele. Para mim não faz. Lutar por alguém... não só soa extremamente lamechas como não parece fazer sentido, quer dizer, é uma relação. Não se luta pelo outro, não é uma conquista. Luta-se para que a relação continue e resulte, não para que outro não desista de lutar. E é isso precisamente que me está a acontecer e essa era a única coisa em que eu conseguia pensar.

Ele acusou-me de estar a falar com ele por obrigação. Dei-lhe razão. Ele também me acusou de o estar a deixar fora da minha vida. Mais uma vez dei-lhe razão. Acrescentei que não confiava. Que já se passou muito. Eu sei tanto como os colegas de tuna dele... Uma namorada não é isso. Até aqui confiei e contei com ele para tudo. E da parte dele...nada. Sempre um enorme e vazio NADA. Claro que iria chegar aqui. Amar é dar e receber. Não é dar, dar, dar e ter a esperança infinita de receber.

"Diz-me alguma coisa que só eu saiba, fala-me de alguma coisa que mais ninguém saiba, dá-me qualquer coisa que mais ninguém tenha".

Eu sei que é um pedido exigente. Estou magoada, cansada e frustrada. Tenho saudades dele, o que já me descansa, pois até agora só conseguia ficar zangada. Já não estou zangada mas tenho um buraco enorme. E desta vez não há depressão que valha. A culpa é mesmo dele. Foi ele que não se interessou, foi ele que não se lembrou, foi ele que ignorou... foi ele. Eu tenho muitos defeitos e um feitio da m***@, eu assumo isso e, inclusivamente, já voltei atrás com coisas que disse e pedi desculpas por ser tão ríspida. Eu resolvo os meus problemas. Ele ignora a sua existência. Espera que eu fque bem e passa à frente até à próxima. Cansei.

Não sei como vai ser. Não sei mesmo. Sei que sinto a sua falta. Que passámos duas semanas juntos e não podia ter feito mais sentido. Sem zangas, nem desentendimentos... E ele também sabe disto. Disse-me "Eu gostava de ter mais tempo para trabalhar na nossa relação, de estar contigo quando me apetecesse e quando te apetecesse, de não ser fim-de-semana sim, fim-de-semana não... Mas não são essas as nossas condições."

Barcelona? Começo a achar que não é um prazo de validade mas antes as respostas às nossas perguntas. Acho que se eu voltar ainda com namorado, foi Barcelona que me disse que era mesmo isso que eu queria.

Esta sexta-feira vejo-o. E desta sexta-feira a 2 semanas estarei em Barcelona. Por 5 meses. Bons meses. Eu sei que vão ser. E já quero ir. Quero muito ir. Estou pronta.


Cisne.

21 de janeiro de 2014

Aquilo que nem eu sei

"Se eu te pudesse dizer
O que nunca te direi
Tu terias que entender
Aquilo que nem eu sei"
- Fernando Pessoa

Das cinzas, do nada, ou apenas do pouco que já sinto, tou a tentar reconstruir o que tenho deitado por terra nos últimos dias. Not sure of what it's going to happen... Quando tiver novidades aviso... -.-


Cisne

20 de janeiro de 2014

17 dias


Faltam 17 dias para ir para Barcelona. Não sei se vou conseguir partir com tudo resolvido cá.

Grande zanga com o P. (discussão não, porque discutirmos seria impensável), muitas dúvidas e incertezas. Ele não muda, nem vai mudar. Hoje voltou-me a repetir o «não percebo». Eu ia morrendo mas fingi a mim mesma que aquilo não era a etiqueta do prazo de validade da relação. Não sei quem a matou; em princípio fui eu...

17 dias...

Cisne.

18 de janeiro de 2014

De copo meio vazio...


Sinto vontade de terminar. Estou cansada, farta e frustrada. Mas por enquanto ainda não é justo, nem para ti nem para mim. Porque só há dois dias atrás te disse qual é o problema. Portanto eu espero. Não muito mais mas espero... Já perdi a esperança, já deixei de acreditar que isto vai começar a resultar em breve... Mas não faz mal. Tu consegues mudar o meu choro para o meu riso, portanto quem sabe não mudas o meu desânimo para a minha felicidade?

Fico à espera...as always.


Cisne.

17 de janeiro de 2014

As palavras que talvez te direi #3

Queria escrever alguma coisa para ti. Alguma coisa bonita porque mereces coisas bonitas. Vamos ver se serve...

Tenho saudades tuas. Nem pensei que pudesse sentir tantas, às vezes és um chato com o teu péssimismo ou com as tuas más energias ou com o teu mau feitio que não se entende muito bem com o meu.

Já não está muito bonito pois não? É que eu acho que bonito não consigo... Porque sou bruta e muito imperfeita, um pouco também como tu, feia nas palavras porque a vida não se fala só em tons bonitos.

Queria que soubesses que fazes parte da minha vida. Pouco me importa se pouco ou muito. Se me fazes falta é porque fazes parte dela. E lembro-me muito bem de rirmos e falarmos à parva durante horas. E de partilharmos silêncios num jardim onde nunca estive antes, e de irmos à praia numa praia com a alegria de crianças a desenhar na areia as únicas três coisas que eu sei desenhar: a lua, o sol e um carro. Eu lembro-me muito bem de passarmos horas e horas junto ao Tejo, a rir, a falar, a olhar, a adormecer... Lembro-me de quase sermos assaltados, lembro-me de te rires da minha reação a seguir, lembro-me de ficares preocupado comigo mas sem mostrar para que eu ficasse melhor. Estou a sorrir agora a escrever isto, a lembrar-me de tudo. Eu sei que também te lembras e, mais importante que lembrar, sei que não te queres esquecer. Eu também não quero =)

Sei que às vezes não nos entendemos muito bem ou não nos entendemos de todo - vai sempre depender dos dias e dos humores... Mas é isso. É isso que é giro na nossa amizade. Eu nunca sei como vai ser, o que vai acontecer. Sinto falta disso. Contigo cada dia é uma descoberta e uma aventura. Sinto muita falta disso. Sinto muito a tua falta... Quero o meu amigo de volta e no entanto estou de partida...

Acho que nunca te disse que me lembro muitas vezes de ti quando estou a conduzir. Quase sempre, na verdade... Lembro-me dos teus conselhos dos teus "então tu não vês que estás muito perto?", "Alto, alto! Tá bom, bora" ou "faz isso faz...depois não digas que te avisei...armada em esperta". =)


Cisne

16 de janeiro de 2014

Não sei como cheguei aqui #2


"Long have I waited here for nothing to come
The sequence of twisted turns
That can't be undone

The pain you're in
They're feeding your kiss
But it's taking much more
than pleasing your needs
Salt water rising
A beautiful day
The flood only washing the want away"

Cisne

Não sei como cheguei aqui

"Touch if you will my stomach
Feel how it trembles inside
You've got the butterflies all tied up
Don't make me chase you
Even doves have pride"

Cisne

15 de janeiro de 2014

Apetece-me "armar em diva"



Às vezes penso em dizer-lhe "Liga-me quando perceberes. Ou então pára de me ligar. Ah, não, espera, mas isso tu já fazes".

Dá-me a sensação que não passa deste Domingo...

13 de janeiro de 2014

Ser bailarino é...

Tive de escrever um pequeno texto para a revista da Academia onde dou aulas. Nada de muito interessante me ocorreu e até agora foi isto que saiu:

"...ter como lema de vida aprender. Um bailarino nunca sabe tudo, não conhece no corpo o significado da palavra perfeito. Perfeito é uma meta, um estímulo, nunca uma realidade. E ser bailarino é querer viver sob estes padrões. Com a certeza de que luta por um objectivo que nunca vai conseguir alcançar (por ser inalcançável) mas com a esperança e determinação de que a cada dia que passa está cada vez mais perto. Porque um dia alguém disse «prepara!» e alguém estava a ser preparado para a vida; 5, 6, 7, 8 e...alguém se apaixonou incondicionalmente pela dança."

Any further advice?


Cisne

9 de janeiro de 2014

Detesto...

...aquela altura depois de tomar banho em que puxamos a cortina para trás e vem um frio terrível.


Cisne

8 de janeiro de 2014

Adoro...


...ver um casal adulto, nos seus 40's, 50's de mão dada. Não um casal idoso - isso é só fofo. Um casal adulto assim já me faz pensar que passaram por muito e vivem há muito juntos e ainda assim, mesmo vendo-se todos os dias, continuam a querer aquela ligação física na rua, aquele gesto simples que dá ums entimento óptimo de pertença. Continuo sem acreditar no casamento (não tem a ver com Igreja blá blá blá, é mesmo no casamento enquanto união, não em parece possível na prática) e sim, claro que o casal com melhor aparência afectiva pode ser só isso, aparência. Mas a imagem, a imagem que vi hoje e vi raramente noutros dias dá-me algum conforto. E faz-me ter esperança e pensar em coisas boas. Gosto disso. De acreditar que uma relação jovem pode viver até ser idosa.

3 de janeiro de 2014

50's Clean


Hoje deu-me o vaipe e ora cá vai disto! Foi a cozinha e a casa-de-banho limpas a fundo e a eito até ir para o trabalho, mal acabei de almoçar. Deixei aspirador a jeitinho para quando chegasse e depois de jantar avançar para a sala e quartos. Pois... Esqueci-me de um pormenor importante: moro num apartamento. NÃO POSSO aspirar às DEZ DA NOITE... Oh... E eu que ia tão lançada :)

Amanhã é dia! Que esta casa anda um nojo. Enquanto isso, vou ali arrumar e limpar o pó ao meu quarto e volto já.


Bom fim-de-semana!
Cisne

Na verdade, tenho medo que o novo ano seja bom


Eu não quero disparar em festejos antes de ter a certeza mas ele parece diferente. Acho que talvez já percebeu...

" - Tenho de ir a casa dos meus pais Sábado, vou ainda jantar. Estava a pensar: queres fazer qualquer coisa sexta-feira à noite ou Sábado?
- Hum... Não pode ser os dois?? Ou não tens tempo?"

E pronto, se calhar isto não faz sentido nenhum para vocês. Mas era impensável ele mostrar este tipo de entusiasmo há umas semanas atrás. Ou responder-me a mensagens sem ser 3 horas depois, ou mandar-me mensagem a dizer nada, só por ter saudades de falar comigo; ou estar meio dia sem falar comigo ,para 10 minutos antes de eu dar aula mandar mensagem a dizer "Eu sei que vão ser 3h de seguida, mas coragem, lembra-te que adoras o que fazes! Boas aulas amor ;) " - ele lembrar-se do que eu vou fazer já é mérito quanto mais saber se é uma ou 3h...

Parece diferente mas não sei... Nem vou deitar foguetes antes de recomeçarem as aulas. Sim, porque o tempo de aulas é a nossa vida normal. Não duas semanas de férias perfeitas, em que estamos no sofá enrolados em mantas, ele a estudar para os exames e eu a ler um livro... Isn't that a shame? :)


Cisne

2013 em fotografias


Inseguranças, incertezas
Comida muito pouco saudável...

Curta-metragem "Sing the Sand Into Pearls"
Ensaios para peça original e condição física no Verão


Uma viagem que marcou uma grande viragem na minha vida

Repertório português
Repertório - finalmente a oportunidade de mostrar o que valho :)
Óptimas críticas :)

Comida saudável...



Ensaio aberto "Anjos Imperfeitos"

"Anjos Imperfeitos" no grande palco das Caldas da Rainha


Aula pré-espectáculo nas Caldas
"Anjos Imperfeitos"

Fiquei na Quinta das Lágrimas, ouvi o grande fado de Coimbra e visitei a sua linda cidade universitária
Mudei de perspectiva

Completei um dos meus sonhos: subir ao Cristo-Rei




Conheci uma pessoa extraordinária
Um grande Verão e uma grande janela aberta para o futuro: 2014 here I come.








Cisne.

2 de janeiro de 2014

Não estou optimista...


... But then again, have I ever been? ...Noup.

Anyway, o ano começou com uma excelente notícia, com a qual fiquei muito feliz apesar de não me afectar directamente e de eu precisar de uns momentos para sair do estado de choque inicial. Fico feliz pelas pessoas que estão felizes. Mesmo :)

Cisne

"Acho que isto não vai resultar"

Este é o pensamento que me ocorre todos os dias, acerca do mesmo assunto, por variadas razões. Ou é pela minha irmã, ou pelo meu pai, ou...