30 de novembro de 2015

Trust


You must trust the ones you love. You must trust everyone but specialy the ones you love. Give them everything in you, everything. Trust them the truth, harsh or not, trust them your hole heart and all your fears.

Trust them in spirit of the one who alows mistakes. In who understands if they cannot bear such responsability. If one day they break your heart you will know with all the broken pieces, you've loved like few people have loved, you've been happy like few people even know possible to be.

And in the future repeat it all over again. Remember not the sorrow, not the sadness, not the lack of sleep nor the pain. Remember how good it felt to give someone all your heart. To trust someone all your heart. Even if they let you down.

Nada acontece por acaso.


Cisne

25 de novembro de 2015

Um chá numa tarde de Inverno


Conheceram-se, gostaram-se, embora não à primeira. À primeira nem pensaram em olhar muito a sério um para o outro.

Até olharem. Primeiro um, depois o outro. A verdade é que não há muita certeza se houve de facto um primeiro e quem foi realmente. Esperaram um pelo outro como alguém espera por um chá quente numa tarde de inverno, pacientemente e ansiosamente.

Encontraram-se finalmente num daqueles bares em que já toda a gente espera que se enrolem um no outro. Mas eles nem se lembraram. Quiseram tanto aquele momento, aguardaram-no durante tanto tempo que chegaram até a esquecer e a duvidar que fosse acontecer, que no momento em que o viram real, já nem sabiam muito bem que momento era aquele. Com a conversa lembraram-se.

Queriam-se como se queriam ver, pacientemente e ansiosamente. Acho que as coisas mais saborosas da vida são estas. Pelas quais estamos dispostos a esperar pacientemente, até estamos dispostos a esquecermo-nos que as queremos, mas ansiosamente à espera que cheguem. 

Saborearam a conversa e deram um pouco do muito que há em cada um. E um pouco mais, e um pouco mais...até hoje. E até hoje não sabem que momento é este, mas vão esperando um pelo outro como se espera pelas coisas que se gosta, pacientemente e ansiosamente.

Uma história de amor. Porque ando a precisar delas. Das boas e das que correm bem. Uma que me parece real, saudável e boa ao mesmo tempo. Na minha cabeça existe.


Cisne

24 de novembro de 2015

Lembrei-me que me esqueci


Hoje, quando saí à rua por volta das 9h, apercebi-me que já me tinha esquecido de como as manhãs de Inverno são bonitas. (Sim, eu sei que é Outono. Mas estão 9ºC, é Inverno!)

Cisne

Acho que esta música tem qualquer coisa...

Descobri esta música a propósito do curso de teatro musical que ando a tirar. Chama-se Seasons of Love e rapidamente me identifiquei com a melodia.

20 de novembro de 2015

Do Natal


Acho que sempre gostei do Natal. Na altura em que os meus pais se separaram passei a gostar menos um bocadinho (mais por toda a burocracia de «quem fica com quem em que dia» do que por não os ter juntos, na verdade). Ainda hoje é assim: não é exactamente como eu gostaria que fosse mas é muito bom e muito melhor do que o de muitas famílias, tenho a certeza.

Desde há uns anos para cá que mantemos uma tradição. O amigo secreto! Veio por más razões (incapacidade financeira para dar prendas a toda a gente) mas acabou por ser o que nos une e dá graça ao nosso Natal. Como funciona? Muito simples:


  1. A minha tia começa por fazer uns envelopes que contêm o nome de cada um dos membros da família (excepto os mais novos que irão receber as prendas normalmente)
  2. Sela-os muito bem para que ninguém, nem ela, depois de misturados, possa ver os nomes.
  3. Aguarda-se ansiosamente a data do aniversário da minha irmã ou do meu, em que juntamos a família toda e assim podemos tirar o envelope do nosso amigo secreto.
  4. Depois é toda uma jorrada de perguntas que só comprovam como somos todos sempre crianças "então, gostaste?" "É fácil ou difícil??"
  5. Definimos um tecto para não termos valores muito diferentes entre prendas e vamos à procura da prenda perfeita!
  6. Chegada à ceia de Natal, os miúdos abrem as prendas primeiro e depois seguem-se os adultos: cada um vai dar pistas sobre quem é o seu AS e quando alguém adivinhar ele vai buscar a sua prenda e sempre assim sucessivamente.

A parte das pistas é definitivamente a mais gira porque é giro ver o que nos sai na altura para descrever a pessoa e como se nota nessa altura como alguns são tão semelhantes, que nem conseguimos decifrar de qual das primas ele está a falar! E pronto, é este o meu pequeno mágico Natal.

Tudo o resto no Natal me passa um pouco ao lado. O que eu gosto mesmo é disto, da lareira acessa e toda a gente junta. 

Cisne

17 de novembro de 2015

A minha variação preferida

"Variação de Esmeralda" do bailado La Esmeralda (inspirado na história do Corcunda de Notre Dame)


A maior parte das bailarinas batem a pandeireta com a mão direita no pé direito. Esta jovem de 17 anos achou que isso era para meninas e toca de bater com a mão esquerda para ficar um bocadinho mais longe do pé. Com estas coisas a gente até se esquece da instabilidade nas pirrouettes...

Eu sei que a maior parte das pessoas que me lê não quer saber de ballet/dança para nada. Aliás, volta e meia pergunto-me sobre o que é que gostam realmente de ler ou o que os cativa mais a vir aqui parar...fico sem resposta...Um dia destes faço um inquérito! Não que vá parar de escrever sobre o que me apetece na mesma, mas sempre se fazia a vontade a toda a gente. Bom! Adiante que já me desviei! Esta é de facto a minha variação preferida de ballet clássico. Porquê? É exuberante e enérgica e precisa que uma intérprete fortíssima, muito mais a nível interpretativo que técnico (embora a nível técnico tenha muito que se lhe diga!!). Mas ou seja: se estiver lá tudo a nível técnico e falhar a interpretação...nhé...não é uma variação nada interessante.

Esmeralda é uma personagem forte, convicta, segura, que gosta de mostrar, de controlar, de ter a atenção para si. Sempre gostei muito desse tipo de personagens fortes =)

Cisne

16 de novembro de 2015

Flesh and Bone


Estreou uma série limitada (só com 8 episódios) sobre ballet. Andei viciada naquilo e não larguei até acabar. Adorei tudo e depois chegou ao fim...detestei. E agora estou dividida. Não sei se hei-de recomendar que vejam ou que não. 7 episódios são muito giros... chega ao oitavo, estragou tudo -.-'

Cisne

A saudade tem fim?


Não passa um dia sem que pense nele. Como é possível? 7 meses depois e não passa um dia. Não faço de propósito, não estou triste, não estou ressentida ou arrependida... Mas não passa um dia sem que pense nele, ou que o confunda com alguém que passa na rua.

Quando é que acaba? A saudade tem fim? 

10 de novembro de 2015


A Cisne vai a uma conferência de imprensa toda chique e importante para a empresa onde trabalha, onde não conhece ninguém e se vai sentir muito muito insegura e desconfortável. Levantei-me da cama saindo de estado de negação e fui arranjar-me. E seja o que Deus quiser!! Aprovado?? God help........
Porque a vida tem sempre uma surpresinha gira para nós, vou ter de coreografar esta música.



Não sei o que gosto mais: se de coreografar 4:35 para crianças ou de ter que usar "cor" seja lá como for...

Ponto da situação

3 audições numa semana: 

  • Não completei a primeira (era para acompanhar cantores pimba...heeeell no!),
  • Não passei na segunda,
  • Fiquei como back up na terceira.

Lá para 2016 consigo um trabalho decente.

Enquanto isso:
  • Dar aulas (ballet, contemporâneo e jazz)
  • Preparar aulas
  • Fazer curso teatro musical
  • Fazer curso Site specific Dance and Performance Work online
  • Coreografar a apresentação de dança do colégio onde dou aulas
  • Tentar não hiperventilar por já não dançar desde Abril.

Cisne

8 de novembro de 2015


Tenho tido muita vontade de escrever. Só que só sobre o mesmo assunto. Homens. Ou O homem, como preferirem... Mas fico tão cansada dos mesmo pensamentos e de ler sempre as mesmas inseguranças e incertezas... Cansa. Cansa estar à espera que tudo seja como nos disseram que existe. E se fosse só isso...

Dou comigo a pensar muitas vezes que o meu ex-namorado era o homem da minha vida. Eu não estava era preparada para isso. De uma destas coisas eu tenho a certeza: não estou preparada para encontrar o homem da minha vida. Mas e então? Tenho de ficar sozinha? Caraças...vamos lá meter os pontos nos is: eu gosto de mim! Acho que sou uma rapariga porreira, com um bocadinho de mau feitio, pois bem mas...bem-disposta, energética, sei lá... gosto de mim assim pronto. Não tenho problemas em passar tempo sozinha. Mas possa! Não é 3 vezes melhor ter alguém com quem partilhar a nossa vida??

Cisne

3 de novembro de 2015

Desafio - 10 coisas estranhas

Ora bem 10 coisas estranhas sobre mim... fácil!

  1. Odeio dormir de estores fechados, não por causa da luz mas porque me sinto enclausurada
  2. Tenho péssima memória mas uma capacidade espantosa para me lembrar ao pormenor de tudo o que não interessa
  3. Acordo absurdamente esfomeada
  4. Só vou à casa de banho muito depois de acordar e na maior parte das vezes não vou antes de me deitar
  5. Não consigo entrar numa casa que tenha o tapete torto sem o endireitar primeiro
  6. Tenho de me conter e respirar muitas vezes fundo para não estar sempre a tirar pêlos e cabelos dos casacos das pessoas que não conheço
  7. Desde que me conheço como gente que o meu pequeno almoço são cereais com leite. 365 dias por ano.
  8. O meu segundo nome é o primeiro de uma cantora pimba......
  9. Meto o despertador mesmo quando não tenho hora para acordar (não há sensação melhor que desligar o despertador e continuar a dormir)
  10. O meu relógio do telemóvel é o único que tem as horas certas. O do carro, de pulso, trabalho, etc, estão todos adiantados (uns 5 outros 3 minutos). Já chegaram a ficar 10 minutos adiantados quando eu tinha mais compromissos...
Aí tá. Por favor llevai e respondei. Não posso ser só eu a fazer figuras...

Cisne

"Acho que isto não vai resultar"

Este é o pensamento que me ocorre todos os dias, acerca do mesmo assunto, por variadas razões. Ou é pela minha irmã, ou pelo meu pai, ou...