18 de junho de 2010

Chocolate





Eu tenho de ganhar juízo na cabeça e ir estudar. Até lá...

Tenho reflectido muito ultimamente. A reflexão de hoje é acerca de chocolate. Pois é minhas amigas e meus amigos, esta personagem de cariz delicioso e consolador, faz parte do meu dia-a-dia.
Mas desiludiu-me muito. Ora pois em toda a minha vida me acompanhou e nunca se negou a mim. Agora vejo-me obrigada a negar-me a ele. Ah pois é, meus amigos, não se deixem enganar. Esse sacana vicia-nos nele, leva-nos à paixão extrema e depois, quando damos conta, estamos que nem cachalotes. Pois não mais!! Estou a evitá-lo ao máximo e ele que não venha cá com falinhas manças, seja do Lidle ou da Cadbury. Eu estou é deprimida. E é quando ele me faz mais falta; é mesmo assim. Mas eu sou forte!



Agora, a sério, isto foi uma maneira muito subtil que estou a sofrer comó raio por não poder comer tanto chocolate quanto me apetece - é duro! x) E pronto, estou muito indiganada com as pessoas que não gostam de chocolate, é um ultraje, não só porque não gostam de uma coisa ÓPTIMA como também se privam sem esforço de uma coisa hiper calórica. Também queruu *.*



Cisne.



P.S.- Sim, Nuno, como «pessoas que não gostam de chocolate», refiro-me única e exclusivamente a ti. snif snif

16 de junho de 2010

Nomes pirosos

Portanto, a minha vontade para estudar continua NULA, sendo que, ainda pra mais, descobri recentemente que se a minha nota nos exames diferir em 3 valores da minha nota à disciplina, a nota à disciplina mantém-se. Então pra que raio estou eu praqui a suar que nem uma maluca??? Para as especificas? Talvez, mas ainda nem sequer sei que curso quero. Para quê então? Adiante!...

Venho então hoje falar de um assunto que no passado me assombrava e de que hoje sou apeladora. Pois é, meus amigos, eu, como o estereótipo de gaja que sou, gosto de nomes pirosos (com algumas excepções).

No passado, é que nem vê-los! O rapaz que me chamasse de princesa, experimentasse chamar-me bébé, ousasse sequer!, chamar-me fofinha......Ai valha-nos Deus, acudam-no! Tudo o que era nomes mariconsos/carinhosos, esquece! Detestava, não suportava! Achava uma parvoíce da pior espécie.

Pois é...Agora... Ora agora não morro de amores e consigo viver como plebéia, mas sabe-me sempre bem ouvir um «princesa» num diálogo perfeitamente casual :) e «linda» também :) e um outro que não digo por ser demasiado estúpido mas começa por «L» :P (já agora, escusam de tentar, não adivinham xP)

Continuo a detestar bébés e fofinhas e xuxu e texuguzinho como também já ouvi. Isso eu já acho meio que rídiculo mas pronto...


E pronto, foi esteum post completamente egocentrico, sem qualquer ponto de partida ou conclusão científico, esperimental ou lógico - apenas eu. lol (Ei, às vezes também sabe bem :PP)


Cisne.

14 de junho de 2010

O raio dos alarmes nos sapatos


Há dois dias atrás, observava eu a minha excelentíssima progenitora, quando reparo cuidadosamente que esta ainda tinha aquelas coisinhas do alarme das lojas no sapato. A minha mãe já usa saltos há anos!! E continua, por vezes, a esquecer-se de tirar aquelas coisinhas irritantes que mesmo que lutémos e lutémos para as tirar todas para que o nosso sapatinho de cristal fique impéc, fica sempre lá um bocadinho de papel branco rasgado a estragar tudo. C'a nervos!!

É que depois, mesmo que uma pessoa queira olhar para o sapatinho lindo que a senhora tem, só vai ver o raio do papelinho branco rasgado na sola!

Este provavelmente é um texto muito para além do estúpido mas eu não tenho mais nada interessante para falar e, honestamente não me apetece ir estudar portanto, aguentem-se :P Deixo aqui a minha indignação contra os alarmes/preços estúpidos que enervam qualquer mulher!

Estou muito indignada com coisa nenhuma e acabou!,

Cisne.

11 de junho de 2010

O valor


Alô, alô, Vidiguera...


Epah, 'tou cansada. Ou melhor!, moderadamente (como dizia o outro) cansada. De estudar... Mas ainda não perdi o ânimo! Menos mal.


Ontem estava a reflectir acerca do valor das coisas/pessoas/animais... Foi então que comecei a pensar como se poderia provar ou encontrar este valor. É frequente a expressão:"Para mim, o Pedro tem valor". Ora, porquê? Porque tem 20 medalhas de campeonatos de basquetebol? Ou será porque é uma pessoa bondosa? O que determina afinal o valor de alguém?


Penso que o valor de alguém/objecto/animal pode dividir-se em: 1) Aspecto (e aqui entram todas as apetências físicas, psicológicas, morais, valor sentimental, etc.) e 2) Vida (e aqui entra o modo como vive, conquistas, metas, objectivos, etc, e, no caso de um animal ou objecto a importância que teve na nossa vida). Agora: Qual destes critérios o mais importante? Qual destes decide, determinantemente, o valor (e o quantifica), ou a ausência dele?


Isto é um tema-problema muito subjectivo. Eis a minha perspectiva, bastante modesta e imatura: O valor de alguém é divisivel, sim, nestas duas categorias, mas ambas com igual importância. Isto é, recorrendo ao exemplo anterior, Pedro, não tendo ganho nenhuma medalha, nem tendo feito nada merecedor de reconhecimento na sua vida, não deixa de ter valor visto que é uma pessoa bem-educada e especial (como poderiam ser enunciadas outras quaisquer qualidades). E o mesmo e o contrário se dá, de igual forma, nos casos de um animal ou objecto. Ou seja, o valor está onde decidirmos que ele está; é algo que nós percepcionamos subjectivamente e, por consequência, relacionamos a determinada pessoa/animal/objecto.


Acrescento ainda que, o valor é algo que pode ser atribuido por nós, a nós mesmos, ou por outros. O que o atribuir deve estarna posse de uma consciência moral, de modo a realizar uma avaliação consciente. Daí que surja, muitas vezes, a problemática da sobrevalorização e subvalorização. Mas aí reside outra questão.


Cisne.

10 de junho de 2010

PROCURA-SE:...

...Escrita perfeccionista e elaborada que fala muito sobre nada.
Estava eu a tentar escrever por aqui qualquer coisa poética, para variar, quando me assombra um pensamento... lol. Acho que perdi o jeito para escrever. O que escrevo parece saído daquelas comédias românticas hiper, hiper, previsiveís e escrevo tudo de forma tão literal... Já tive mais imaginação e já gostei mais de ler o que escrevo. As minhas notas a português estão cada vez piores. Acho que deixei de saber escrever. Pelo menos de uma forma bonita e... como é mesmo a palavra?...appealing...como é? I rest my case. Acho que já sei falar melhor inglês do que português. WTH??!!

Bom, acho que vou ali buscar umas francesinhas com chocolate para me deprimir mais um bocadinho...


Cisne.

P.S.- EXIJO a minha escrita DE VOLTA! RECOMPENSA para quem achar e não ficar com ela (caso contrário cobro direitos de autor :PP) Ok, piadas secas... Acho que é tudo quanto me resta agora... GREAT! - . -'

7 de junho de 2010

Mais um selo :)






Este selo trás um desafio:* Ostentar orgulhosamente o selo, afirmando que o fazem porque são super especiais.
Sou especial porque digo que sou e ninguém tem nada a ver com isso! xD


* Confessar uma verdade que não tenham feito a ninguém !
Quando durmo no sotão da minha casa devido ao colchão que é melhor para as minhas costas, às vezes quando estou com pouco sono fico com medo do escuro :P Não é bem medo, mas fico naquela «Que barulho foi aquele??» lool, quem me visse +artia-se a rir, e eu às vezes faço-o! x)* Oferecer o selo a alguns blogs que achem dignos, isto é, que sejam verdadeiros. Que tenham carácter, profundidade de alma...
Ofereço a todos os blogs que sigo ou que me seguem (Isto foi um elogio, caso não tenham percebido :P) - Diana, isto e serve para ti também! A sério, estes desafios são giros! Experimenta!


Enjoy :)
Cisne.

6 de junho de 2010

A diferença do diferente



Isto que escrevi, senti numa caminhada em VFX para as minhas aulas. Não sei se é estúpido, se ando a divagar estupidamente... Enfim, deixo ao vosso critério. É pequenino...



Eu saio todos os dias à rua, simples e conservadora para mostrar que o vulgarmente comum também é belo.


Pessoas diferentes do ordinário, fazem um mundo diferente e, assim, versátil, dinâmico, enérgico, just fun! Apenas não tenho de marcar o fora do ordinário. Eu decido marcar a diferença sendo apenas normal. Comum. Constante. Aliás, se fossemos todos diferentes, haveria algum de nós diferente realmente?


Eu sou eu. Normal. Comum. Constante.


Cisne.

4 de junho de 2010

Não vão acreditar!!



Acabei os testes!!!!!..., trabalhos, relatórios, stresses, chatices e tudo o que havia pra fazer!! WWWOOOWWWW! É a loucura!


É claro que ainda tenho os exames nacionais mas, de qualquer forma, só vou ter de estudar em casa, sossegadita, sem stresses da escola, só eu e a minha casa, o meu quarto. Ufa... Parecia que nunca mais; que despero de ano.



Agora, gudebai Mari'Ivone que tenho mais que fazer (NOT!) (Muahahaha),
Cisne.

Abandono

Este blog foi ao abandono...E não admira. Está tal e qual como eu: abandonado. Desde que uma colega minha entrou de baixa e o meu t...