29 de julho de 2013

Um «eu» diferente, mais instável


Amanhã vai ser um longo dia.
Alguns desafios e pouco, muito pouco tempo.
Mas quando passar tudo ficará tranquilo. Vou começar a trabalhar em Alenquer como faço todos os Verões...
Vim renovada das férias no Algarve. Saí de Lisboa em mau estado, muito mau estado. Lisboa tem sido muito boa para mim, trouxe-me muitas alegrias e muita energia. Mas também me deu muitas tristezas e abriu-me a pestana de uma maneira muito brusca, que eu não estava à espera. Assim, quando acabei as aulas (à semelhança de muitos colegas meus), estava à beira do desespero: já chorava todos os dias tal era o cansaço, a frustração.
Estas férias, não só serviram para não pensar em nada como para pensar em tudo. Pensei principalmente em mim. Em duas coisas essenciais: no que eu sou e no que quero fazer.

Sou uma pessoa insegura e cada vez mais. Quanto mais cansada mais isso vem ao de cima. Isso apoquenta-me e, infelizmente, à minha mãe também. Porque apesar de saber o meu valor às vezes esqueço-me e deixo que as pessoas me convençam que sou menos do que sou. Gostavade ser diferente e portanto tento todos os dias mudar a minha prespectiva, tento ver uma pessoa melhor no espelho. Não é fácil. Não é mesmo. Nem consigo bem explicar porquê mas estou numa fase em que olhar para o espelho significa apenas ter defeitos e eu lembro-me de uma altura em que eu me olhava e via qualidades. Portanto, quanto posso eu ter mudado para deixar de ter qualidades? Não tanto assim. O problema está na minha cabeça que deturpa tudo o que eu vejo.

O que eu quero fazer? Mudar. Só não sei bem como. Mas vou começar pela tentativa erro: este Verão vou fazer exercício, vamos começar por aí, depois logo se vê.

Tenho muito medo de não voltar a ser como era. Porque eu sempre fui insegura mas não tanto. Lembro-me de uma altura em que o que eu vestia era para mim e pouco importava. Agora o que eu visto nunca está bem e tudo me assenta mal, acabo por usar a roupa mais larga que existir no meu armário. Lembro-me de uma altura em que calçava saltos altos e sentia-me a mulher mais bonita de onde quer que eu fosse. Agora só me sinto mesmo mais alta e isso pouco importa. Vejo fotografias de quando entrei na faculdade, penso no quão bem estava na altura, lamento-me por me ter perdido pelo meio.


Mas na verdade isto é só mais um desabafo. A verdade é que vim renovada, muito menos cansada e preparada para enfrentar um novo eu. Um novo eu com mais 5kg, mais inseguro e instável. Estou preparada para parar de chorar e agir, para variar. Estou farta da insegurança, sou muito nova para isto. Adoro dançar e sair e se dantes isso era só divertido agora acarreta todo um conjunto de medos e dúvidas que dizem respeito apenas ao meu lado físico. Não pode ser, já chega. Vamos lá a isto :)

Cisne.

27 de julho de 2013

Sonhos...


Esta noite sonhei com o meu ex-namorado. Foi bom, parecia uma memória, foi estranho. Demorei a acordar e quando acordei foi quase como se tivesse acordado da realidade para o sonho e não o oposto. Suponho que seja natural depois de uma relação de três anos... E acho que é bom sinal já sonhar com ele, tenho recalcado tanto pensamento que agora que estou de férias acho que o meu subconsciente já se sentiu relaxado para soltar...

Esta sensação nunca tinha tido. Eu fico sempre baralhada depois de um sonho, fico sempre confusa acerca do que é realidade e sonho mas esta sensação de perceber imediatamente que acordei mas que a minha realidade parece errada, é a primeira vez.

Estranho... Enfim, nada e novo, mais um devaneio da bailarina treslocada que escreve :)


Cisne.

25 de julho de 2013

Ai as férias

O máximo que tenho esticado a pernoca é assim...



E mesmo assim, ui que não é todos os dias. Mas quando voltar do Algarve faço exercício e alongo todos os dias. Prometo que vou tentar!


Cisne.

19 de julho de 2013

Músicas do dia...



Tenho feito aulas de contemporâneo com estas músicas e têm ficado na cabeça... Gosto muito, apesar de não serem o meu estilo habitual.

O semestre chegou ao fim. Estou de férias. Gozem à vontade mas esta manhã quando acordei disse-o em voz alta e desatei a chorar. De alívio. Foi um semestre tão tão difícil mas finalmente chegou ao fim. Finalmente... Ainda não consigo estar aos pulinhos mas estou mesmo muito feliz que tenha acabado todo o stress, preocupação, drama, drama, drama...

Ah e é oficial: o meu primeiro Verão solteira desde há muitos anos...demasiados, creio eu. Que bom, estou ansiosa pela tranquilidade, por aproveitar a cmpanhia da minha família e amigos.

Meus queridos, boas férias! Estou tão bem agora...


Cisne.


16 de julho de 2013

Ai que boa onda!


Acho que finalmente a paz, a tranquilidade e o Verão desceram sobre mim! Ainda tenho dois trabalhos para entregar e ambos muito importantes - um da cadeira com mais créditos do curso e outro que dita se eu passo ou chumbo à cadeira. No entanto, por alguma razão, talvez por a minha peça já ter terminado e agora ser só ensaiar, melhorar e apresentar, sinto-me tranquila, mais descansada. Já nada é o drama que era na semana passada, que bom :) Diga-se a bem da verdade que ir a casa ajudou muito, bem como despachar o raio do teste de música! Mas foi fácil e tudo correu bem :)

Entretanto soube hoje que tenho bolsa para Erasmus! O que é óptimo porque a vida em Barcelona é caríssima. Com isto já tenho um pé lá e outro cá :)

Quanto à minha peça... Meu Deus, com tanta volta e reviravolta já nem sei o que dizer. Talvez esteja boa, não sei, já estou demasiado dentro da peça para perceber se tem qualidade de composição e movimento. E nem no dia do espectáculo vou poder apreciar com atenção porque vou ter de estar na Regi a fazer som e luzes (mas prefiro ser eu a fazer porque se há pessoa que conhece a peça sou eu :):) ).
E pronto, considerem-se todos convidados a aparecerem amanhã às 21h30 na Escola Superior de Dança para ver "As Mulherzinhas" com música de John Surman e Miles David :) E pronto, eventualmente espreitem as outras peças mas claro que só vale a pena olharem para a minha :P

Agora vou trabalhar, sim? É que isto de me sentir tranquila é fixe mas ainda faltam dois trabalhos para entregar até 6f.......... Pooois.....

Vou ali trabalhar e já volto!,

Cisne.

12 de julho de 2013

Está tudo louco...


Eu disse "Universo, já chega de homens e muito menos de idiotas!"
O Universo respondeu "Ai é? Toma lá mais uns..."

Karma? A minha tia diz que não mas tem que ser. Tem que ser! (Vá, tia, na verdade o que eu quero é que tu venhas a correr para Lisboa para me dares um estalo ou um abraço, desde que venhas :):) )

O que me faz lembrar... Estou com saudades de casa. Quando é que vêm as férias mesmo?? É que 19 de Julho parece ser daqui a um século...


Cisne.

9 de julho de 2013

Cansaço

"Não, não é Cansaço... Não, não é cansaço...
É uma quantidade de desilusão
Que se me entranha na espécie de pensar,
E um domingo às avessas
Do sentimento,
Um feriado passado no abismo...

Não, cansaço não é...
É eu estar existindo
E também o mundo,
Com tudo aquilo que contém,
Como tudo aquilo que nele se desdobra
E afinal é a mesma coisa variada em cópias iguais.

Não. Cansaço por quê?
É uma sensação abstrata
Da vida concreta —
Qualquer coisa como um grito
Por dar,
Qualquer coisa como uma angústia
Por sofrer,
Ou por sofrer completamente,
Ou por sofrer como...
Sim, ou por sofrer como...
Isso mesmo, como...

Como quê?...
Se soubesse, não haveria em mim este falso cansaço.

(Ai, cegos que cantam na rua,
Que formidável realejo
Que é a guitarra de um, e a viola do outro, e a voz dela!)

Porque oiço, vejo.
Confesso: é cansaço!..."

Álvaro de Campos, in "Poemas"
Heterónimo de Fernando Pessoa

7 de julho de 2013

Desabafo #1

 
Não tem sido fácil ultimamente. Não tenho andado muito bem. Por várias razões, nenhuma dela que justifique eu estar tão em baixo. Mas não quero falar e nada em específico. Quero só dizer (para me lembrar a mim mesma) que continuo a tentar. Faltam duas semanas de aulas e ainda não desisti. Está a ser difícil mas eu continuo a sair de casa, continuo a trabalhar, continuo a lutar. Mas também venho aqui para me lembrar de chorar mais porque não faz mal. O cansaço é muito portanto chorar até faz bem para relaxar. Vim aqui escrever que tenho valor e que devia parar de deixar que os outros me dissessem o oposto.



Apercebo-me hoje que estou há precisamente 3 meses solteira. Muitos de vocês já se estão a rir e a pensar «isso não é nada». Sim, realmente não é nada, mas para mim é muito que tenho uma qualquer incapacidade em ficar sozinha. Na verdade estes 3 meses têm sido um inferno e um paraíso ao mesmo tempo. Descobri coisas incríveis sobre mim mesma e sobre as pessoas e realidades que me rodeiam. Descobri que é possível dançar sozinha numa discoteca - e que adoro!; que tenho uma enorme necessidade de ter alguém a quem ligar quando alguma coisa má acontece e que não quero falar - só quero ouvir que vai correr tudo bem; descobri que não ter essa pessoa nem essa conversa me deita completamente abaixo; descobri que essa pessoa não tem de ser um namorado. Descobri como é não ter discussões durante mais de uma semana seguida; descobri que beijar alguém pode ter o maior significado do mundo ou nenhum; descobri que nunca disse a palavra «amo-te» primeiro e que não a quero dizer mais (sim, eu sei, o drama! lol); descobri que sou boa a coordenar, a dirigir e a organizar; descobri que quero ser professora, que acho que vou ser boa nisso; descobri que não vou ser coreógrafa, que iria ser horrível nisso; descobri que tenho uma auto-estima do tamanho de uma ervilha e que não fui a única a contribuir para o seu tamanho; descobri que gosto de estar sozinha mas que osto muito mais de estar com alguém.

A minha mais recente descoberta: descobri que não é preciso amar profundamente para ter um desgosto amoroso. É só preciso ser muito bem enganada...3 vezes seguidas...

A descoberta que fiz depois desta? Não me arrependo de nada, aprendi com tudo.


Mas agora paz, ok? Paz e sossego. Quero deixar-me estar, não estou pronta para outra. A AE e as aulas são agora a minha prioridade. Quanto aos meus dois amigos de faculdade que foram à vida tentar a sua sorte como eu e, ao contrário de mim, se deram bem, não podia estar mais feliz por eles (acho até que em determinadas alturas estou mais feliz ainda que eles!! xD). Ajuda-me ver que é possível ser feliz. Não que eu não saiba mas nestas alturas parece que o cérebro faz tilt e começa a armar-se em estúpido e a fazer grandes dramas...


Cisne.

5 de julho de 2013

"Afterday" # 2

Às vezes não é bom ter razão, esperar o mau. Tenho medo do que vem a seguir e as lágrimas tendem a cair com a falta de controlo sobre o que me rodeia.


3 de julho de 2013

A recta final


Acho que é a primeira vez que sinto o Verão chegar desta maneira. Deve ser da idade...

De repente chegou o Verão e toda a gente fica enamorada e bem-disposta, é só festivais e saídas à noite... Sabe mesmo a Verão, é bom. Tenho vivido isso bem, acho que é por isso que me sinto tão cansada, porque a maior parte dos estudantes estão de férias ou em exames e então essas saídas são boas para descontrair do estudo intenso. No meu caso de cansaço físico acumulado só ajuda mesmo psicologicamente para descontrair porque de resto o corpo ressente-se.

O curioso é que neste momento encontro-me numa realidade paradoxal. Por um lado, quero que o semestre acabe ONTEM porque não aguento mais os trabalhos, o estudo, o cansaço físico e psicológico. Por outro, não sei se estou preparada para admitir que 1 - vou passar o meu Verão na minha terra a trabalhar com o meu pai (quando me habituei tão bem à minha querida Lisboa) e 2 - que para o ano que vem já sou finalista. Ai...

Tenho tanto sono. Continuo a vir aqui escrever regularmente numa tentiva de manter a minha saniedade mental intacta mas começam a tornar-se duas tarefas muito árduas de concretizar.

Mas pronto, o bom tempo ajuda. Finalmente sol e calor para me alegrarem o dia!


Cisne.

Abandono

Este blog foi ao abandono...E não admira. Está tal e qual como eu: abandonado. Desde que uma colega minha entrou de baixa e o meu t...