27 de março de 2014

Tough day, wrong night

Este blog tem sido egocêntrico porque assim tem sido necessário. Entretanto hoje comecei a perguntar-me se é só o blog ou se o blog é um reflexo de mim mesma neste último mês e meio em Barcelona.

O P. não estava bem hoje. Ainda estou a aprender a lidar com ele quando não está bem, então ainda não faço as coisas muito bem. Há que dar o devido desconto dado que ele é uma pessoa super constante e fácil, esta deve ser a segunda ou terceira vez que o vejo mal em 6 meses. (Seis meses hoje, já agora...)

Mas hoje foi como... Ele não estava bem e eu ignorei... Ou melhor, lidei com isso como se ele não estivesse interessado em falar comigo. Mas a questão nunca tinha sido essa. Ele não estava bem para falar, ponto final. E ele, pobre, fazia um esforço para falar sem querer pois pelo que percebi só me queria ouvir... Mas quando eu falava distraia-se com alguma coisa (quem gosta de ser ignorado?). Então claro comecei a ralhar que tinha mais que fazer... E ele sem resposta. Devia ter percebido logo aí... Ele tem sempre resposta (a mais comum é «desculpa amor, tens razão» e tem acontecido tão pouco, ele está tão diferente comigo...). Está com a cabeça cheia de qualquer coisa. Perguntei-lhe o que se passava uma vez e ele respondeu nada. Erro nº2: não insisti. Ele está com a cabeça cheia de qualquer coisa. Parece-me do tipo de pessoa que se fecha mas que no fundo precisa de falar. Parece que se quer negar a ter problemas ou preoucpações e quanto mais o faz mais ansioso fica - não falar sobre isso só ajuda à festa maravilhosa que para ali vai na cabeça.

Bom, disse que lhe ia dar espaço para ficar sozinho, apesar de só podermos voltar a falar na próxima segunda-feira... Agora estou aqui a sentir-me mal por não me preocupar o suficiente para não insitir pelo menos uma vez. A questão é que... se estivesse ao lado dele saberia arracar-lhe a verdade ou até as preocupações porque um simples toque pode entregá-lo, ou um sorriso, ou até a voz... A proximidade facilita as coisas. Assim à distância ainda estou a tentar ver como fazer...

Mas a questão é que não sou só eu aqui. E acho que só não estivesse tão focado no meu umbigo que teria lidado melhor com ele hoje. E não lidei... A verdade é que só quero que ele fique bem e, não tendo ajudado nada, espero não ter piorado.

Fica o desabafo 1239.


Cisne

25 de março de 2014

Aquele momento

Aquele momento em que revês todos os vídeos de 3 anos de faculdade e percebes que só três de interpretação e composição própria poderão alguma vez ver a luz do dia..


Cisne

24 de março de 2014

Não sei a quem bata primeiro...



... Se ao turco, à minha colega de casa ou ao namorado dela.

O turco ri o quão alto consegue pela noite fora de séries e filmes, para não falar quando fala com alguém pelo skype. A minha colega de casa e o namorado precisamente o mesmo. Eu chamo a atenção para os vizinhos ver se eles percebem a mensagem e eles olham para mim como se eu fosse louca «Olha agora, tou na minha casa faço o barulho que eu quiser!». Pois amor, isso é lindo, já pensaste que me podes estar a incomodar a mim também??

Pá, é frustrante ter o cuidado de incomodar o menos possível, de cozinhar ao gosto deles, de manter tudo limpo e arrumado, de ir para o meu quarto conversar baixinho e com fones... Pá... Tá certo. A louca sou eu.

Às vezes gostava de não ter tão mau feitio e ter apciência para aturar faltas de respeito. Sim, chamem-me exagerada. Para mim é o que é. Nem com a minha mãe consigo falar como deve ser porque tenho de ir para o quarto onde a ligação é péssima. Tentar na sala é inútil dado que eles fazem questão de falar alto por cima da minha voz.

Pá... Sem mais comentários. Vou-me deitar.


Cisne

23 de março de 2014

It's just music so just dance...


Cisne

Eu gosto: um texto diferente para variar

Um texto diferente para variar.



Sinto-me uma pessoa igual às outras mas diferente.

Gosto muito de certas coisas em mim. Gosto de ter uma mente aberta o suficiente para acreditar em energias e sinais, mas não tanto que aceite tudo sem questões ou limites. Pronto, gosto disso.

Gosto do que os meus olhos vêem. Não. Gosto de como os meus olhos vêem. Se calhar é só impressão minha mas acho que estou mais atenta a tudo, por isso me chamam distraída. Porque estou atenta a tudo o que as outras pessoas não estão, ao que «não é importante». Para mim é o mais importante: ver o que os outros não vêem.

Gosto da minha maneira de ser dentro de uma relação, gosto da maneira como a vejo, mesmo que seja complicada de perceber ou difícil de lidar. Já passei por determinadas coisas que me ajudaram a estabelecer princípios ou regras não sei, que me guiam, que me dão segurança. Sim, é isso. Gosto de como me sinto segura numa relação, de não ter medo de ser largada. De saber que sim, iria ficar triste e magoada se uma pessoa com quem estivesse me deixasse, mas que estaria preparada para isso e de, a seu tempo, seguir em frente (sim, eu sei que muitos vêem isto como um defeito, sofrer por antecipação, not seezing the day etc etc - para mim é estar preparada e isso é sinónimo de pura paz interior, por mais esquisito que seja).

Gosto da maneira como estou disponível para mudar de opinião sobre qualquer coisa, não por desvalorizar a minha opinião, mas por respeitar muito a possibilidade de estar errada e considerá-la até ter a certeza do que penso e saber o suficiente acerca daquilo em que acredito para poder defender essa ideia hipotética.

Gosto de gostar mais das coisas simples e mais simples. Não num sentido bonito da coisa. É mesmo isso. Exemplo: «branco com verde ou branco com vermelho?» «Porque não só Branco?». Pronto, simples.

Gosto de não gostar de ir às compras (embora me faça imensa falta) - a verdade é que gosto do que singnifica: falta de paciência para gastar tempo em coisas fúteis.

Gosto de ter mau feitio. É o que afasta as pessoas que não interessam na minha vida e é o que me dá uma personlidade forte, é o que me define (e se eu não gostar do que me define, como vou gostar de mim?)

Gosto de conseguir ter controlo sobre certas emoções. Isto é péssimo de dizer mas sei exactamente como ser cínica e/ou apática e sei exactamente quando usá-lo. Gosto da sensação de saber que por dentro quero matar uma pessoa mas por fora conseguir fazer com que ela se sinte indiferente para mim - dá-me muito gozo, confesso.

Gosto que me esteja sempre a desafiar. Gosto que o bom não me chegue. Gosto de desafiar os meus limites como o medo das alturas. Gosto do princípio e gosto da descarga de adrenalina, de tudo o que acontece com o corpo nesse momento.


Há muita coisa em mim que eu não gosto. E como com a maior parte das pessoas, são mais as coisas de que não gosto e gostaria de mudar do que as de que gosto. Mas acho importante que me relembre das boas. Porque o espelho me lembra todos os dias que estou 5kg mais gorda que há um ano atrás, mas eu nunca me lembro da imagem que não me é reflectida, da imagem que é só minha e que mais ninguém vê.

Gosto de não ter medo em dizer «Gosto de mim».


Cisne

20 de março de 2014

Random facts

Acabo de beber uma caneca de chá. Chá verde, canela e gengibre. Odeio chá! Jesus...

Estou exausta. Gostava de ter mais tempo para escrever, há tanto em que tenho pensado, há tanto que quero dizer...

Amanhã começa a Primavera. Ou é depois de amanhã? Anyway, que venha ela! Para deprimida já basto eu.

Fiz costeletas à salsicheiro para o jantar. Tão simples mas bom... Eu gosto da minha comida assim...simples. Não percebo porque é que o pessoal gosta de complicar. A minha colega de casa é temperos e mais temperos... Eu não cozinho lá muito bem e volta e meio faço umas asneiras tipo queimar cenas......MAS gosto mais da minha comida...mais simples.

Amanhã mais um dia de aulas. Força 0. Vontade 0. Energia 0. Quem me dera poder atribuir as culpas à depressão ou lá o que é mas desta vez sei muito bem que não tem nada a ver com isso. Estou só triste, com saudades. Amanhã já devo acordar melhor, espero eu... Por enquanto estou a arrastar-me para todo o lado.

Estou gorda. Tirei muitas fotos nos últimos dias, até faz impressão o quanto engordei no último ano. Facto assustador: Estou desde dia 1 de Março sem tocar em doces e nem meio kilograma a menos. (dái o chá, um acto de puro desespero). A partir de hoje estou a dar-lhe no chá e nada de hidratos de carbono à noite.

Lembrei-me agora de me desafiar o seguinte (não é uma promessa pois não tenho a certeza de poder cumpri-la): Se sair de Barcelona com 50kg ou menos (espero que menos!!) faço madeixas vermelhas no cabelo!

Bring it on bitch......!


Cisne

11 de março de 2014

Balanço positivíssimo

Pareço uma criança pequena. O meu namorado chega já esta quinta-feira a Barcelona. Às 5h da tarde já devo estar no aeroporto para o ir buscar. Mas ainda bem que pareço uma criança pequena. Quem não quer ser criança de vez em quando? Tenho saudades de o ver, tenho saudades de falar com ele sem hora para terminar a conversa, sem estar demasiado cansada para fazer frases com a eloquência necessária. Tenho saudades de namorar, do toque, do cheiro, do que se sente quando se está perto daquela pessoa especial. Não importa que seja a primeira, a última ou a pessoa, é sempre tão bom sentir isto.

Quanto a erasmus, balanço do primeiro mês:

As duas primeiras semanas tão horríveis quanto extraordinárias. Explico: nas duas primeiras semanas parece que o tempo não passa, que estive presa numa realidade que não era a minha e que estava sempre à espera de voltar para Portugal. Mas sim, o pior mesmo foi o tempo. Chegou ao meio da segunda semana e já andávamos a dizer uma à outra que estávamos aqui há um mês...

- Então mas quando é que comprámos guardanapos?
- Então já foi aí há... duas ou três semanas pá...
- Hum... Pois... Hãm? Não, espera. Esta é só a segunda semana que estamos cá, pá, não pode ser...

Coisas assim deste género. A partir daí passou-se tudo num ZUT. Agora já passado um mês a nossa visão é como que "ah, ok, passou um mês, ah isto afinal é rápido, 5 meses não vai custar nada!". Bom, não digo que não vá custar nada, mas sinceramente acho que não vai custar tanto assim... Passou-se tão bem e estou a gostar tanto... :)

Mais coisas... Bom, como três foi a conta que Deus fez e as religiões cá em casa estão misturadas, pois bem que a agência mandou vir mais um francês morar cá para casa. No final do mês vão estar a viver sobre o mesmo tecto duas portuguesas, um turco e um francês. And shall God have mercy...

Mais coisas... Estou assim a dar para o mega in love e pronto e coiso e coiso :) Andôr para a frente é que é caminho que esta p*** desta depressão (ou lá o que chamam aos fanicos que me dão de vez quando) não há-de levar a melhor de mim!

Jinhos à prima,

Cisne.

P.S. - Um miminho para a boa energia...


9 de março de 2014

Mais do mesmo

Domingo. Tudo fecha aqui em Barcelona. Está um sol maravilhoso pelo que as pessoas aproveitam para ir a parques fazer pic nics, ir à praia ou mesmo ficar em casa. Eu sou a que ficou em casa.

Acordar ao meio dia, almoço já feito do dia anterior, limpeza, limpeza, limpeza, e agora uma tarde de séries e filmes. Espectáculo... No entanto não está a ser assim tão espectacular. Já não consigo falar com o P. desde terça-feira e ontem faltei a um concerto que era muito importante para ele. Fiquei triste mas fui sair na mesma e diverti-me bastante. Fui à praia, fui jantar a casa de uma amiga e a seguir beber um copo e rir até às tantas (o que inclui fotografias e vídeos no metro que ninguém deve nunca ver :) ).

Hoje continuo sem ouvir dele porque, como é óbvio, deitou-se tardíssimo e ainda está a dormir. Como, em princípio, quando acordar ainda ficará um bom bocado a tentar curar a ressaca, eu estou só mesmo na minha sala a tentar abstrair-me das conversas mais melosas que já ouvi na minha vida por parte da minha colega de casa. Estão desde as 2h da tarde a falar!! E ainda não pararam... Nem sei se param porque ontem aconteceu o milagre de só falarem 10minutos então hoje venha a bendita compensação............. Jesus.

Sim, ÓBVIO que é dor do cotovelo, mas deixem-me atribuir-lhe uns míseros 20% da culpa, porque os restantes 80% são mesmo eu sem conseguir aturar tanta mariquice pegada e «tartaruguinha e leãozinho»............ Pois.

O curioso é o paradoxo. Se por um lado estou aqui com os nervos em franja com tanta mariquice ao pé de mim durante horas e eu não ter uns míseros minutos para conversar com o P., por outro dou graças a Deus (se Deus ainda existir para mim senão venha daí o Universo) ter encontrado alguém tão parecido comigo neste aspecto. É que nenhum de nós tem paciência para nomes esquisitos e muito menos para estar a falar sem nada para dizer. Ufa :)

Mas pronto, em 4 dias (QUATRO DIAS!) ele chega a Barcelona para ficar também quatro dias. Espero que consigamos aproveitar o tempo apesar das minhas aulas mas penso que sim. Sei que devia estar mais ansiosa com a chegada mas a verdade é que já me habituei bastante a não o ter aqui. Oh, claro, claro que tenho saudades mas...sei lá, já estou habituada. Assim como o resto da família e amigos.

Pronto, já vim dizer nada e dizer mal da minha colega tá feito, vou voltar para as minhas séries e filmes, sentindo-me como sempre extremamente culpada por não estar a visitar parques ou qualquer outra coisa que seja interessante em Barcelona... Enfim...


Estação Renfe, perto do Arco do Triunfo



Parc da Ciutadella, tão lindo como gigante, infelizmente não tirei mais fotografias. Estava com uma pessoa de Espanha e fiquei com vergonha de me armar em turista :P

5 de março de 2014

Para animar a malta


Dois espectáculos maus assim de seguida...auch. Sirva a música para alegrar os espíritos...

Cisne

2 de março de 2014

Instável

Nao sei bem porque é que choro e não sei porque é que todos os dias são uma luta... Mas estou cansada. De ter de correr para casa, de me arrastar para fora dela. De ser a colega de casa que é uma seca, que não cozinha bem, que é preguiçosa, que, que, que... Já perdi a conta ao número de vezes que pensei ficar na cama debaixo dos lençóis desaparecida por tempo indefinido... Se ao menos alguma coisa corresse mal e me desse motivo para estar assim... Crio discussões estúpidas, acho que ninguém me compreende, não confio em ninguém...

Eu não quero que ele venha porque não quero que me veja assim, essa é a verdade. E com mais 5 kg no lombo... E branca como a cal, com olheiras e impaciente e inconstante, completamente instável, sempre instável. Queria ficar bem. Só bem... Conseguir disfrutar da vida que tenho...


Cisne

1 de março de 2014

Fotos e mais fotos...

 Hoje vai uma misturada do que tenho andado a fazer e por onde tenho andado nos últimos dias...









Café/Bar "Bosque das Fadas"


Um boneco estranhíssimo a "espreitar" pela janela...

A minha indumentária diária no meu super chique elevador :P


A Sagrada Família lá nos fundos. Fica a 15min da minha casa porque é sempre a descer...
A subida da minha casa... Esta é a última. Antes há outra...



Anita vai à praia! Finalmente!! Um frio do catano mas pronto, um sol bom :)

So...

...I'm back! Finalmente. Sabem quando passamos tanto tempo sem vir ao blog por ummotivo (ou vários) e depois quando já podemos ...