31 de dezembro de 2017

Vestidos de gala

Na passada quinta-feira dia 14 fui fazer uma Flash Mob e precisava para o espectáculo de um vestido de gala. Como tenho acesso a alguns e acho-os todos lindos de morrer, decidi fotografar e metê-los aqui. Qual gostam mais? Conseguem adivinhar qual eu escolhi para usar?



Cisne

30 de dezembro de 2017

Moda e cenas

Moda para mim é uma «cena». É muito giro tudo isso do que «se usa», mas eu cá não percebo nada disso. Quem me dera perceber, gostava de me ver com melhor aspecto no dia-a-dia. Em não-podendo (ou em não-conseguindo), volta e meia lá acerto em conjugações de cores/padrões/formatos de que gosto e fotografo para ver se não me esqueço e volto a vestir igual. É o caso destes dois conjuntinhos:

 

Apesar de estar completamente fora do assunto «moda», safa?

Cisne

28 de dezembro de 2017

Comentários

Já ando por aqui, pelo mundo da blogosfera, há uns belos anos mas ainda há coisas que eu não compreendo... Há posts que eu penso "por que é que eu estou a escrever sobre isto, ninguém quer saber disto..." - e tenho não sei quantos comentários - e "Isto sim, é um post como deve ser!" - e ninguém comenta  (sei lá se vêem).

Houve temporadas em que nem comentários tinha mas não me importava, sempre escrevi para mim. Agora de repente, ter ou não ter comentários "é uma cena". Começo logo a pensar porquê: dediquei-me tanto a escrever, comento no blog das outras pessoas, tenho quase 60 seguidores (a maior parte já não deve sequer ter blog mas pronto), faço perguntas nos meus posts incitando à opinião... Mas há simplesmente posts que eu adoro e ninguém se identificou/não sente que tem nada a dizer.

Sinto-me na necessidade de fazer uma reflexão. Por que é que isto acontece assim? E por que é que fui de profundamente despreocupada com o assunto, a estar super atenta? Medo de não ser ouvida? Querer atenção? Mas se for isso o que mudou?
🤔

Cisne

26 de dezembro de 2017

Prenda de Natal para os vizinhos


Escrevi dois tipos de bilhetes para ver qual gostava mais. Inspirei-me e foi isto que saiu...

"Olá vizinhos!
Somos moradoras de um dos apartamentos do condomínio e, como tal, sabemos que a maior parte destes bilhetes não são coisas boas. Mas estamos aqui para mudar isso!
Viemos desejar um Feliz Natal, mesmo que não lhe liguem muito. Que mesmo que seja apenas uma época por ano que o seja em grande: com muita saúde, companheirismo, amor, felicidade. Que possam também ver todos os vossos desejos realizados no ano que já bate à porta.
Esperamos que tenham gostado do nosso bilhete e...
Feliz Natal!!"


"Olá a quem não nos conhece
E isso de facto acontece
Na altura dos azevinhos
Vamos celebrar sermos vizinhos

Mas vamos pôr um fim a isto
Mesmo que um pouco imprevisto
Aproximar-nos um pouco
Quando andamos num mundo louco

Um Feliz Natal com um sabor especial
A quem desejamos amor incondicional 
Um Ano Novo sem mal
Para uma família sem igual."

Qual deles gostaram mais? A prosa ou o poema?

Cisne

Balanço do Natal

Arrisco-me a dizer que o mais calmo da minha vida adulta.

O meu namorado gostou da prenda e aceitou morar junto comigo. Agora é ir tratando de tudo pouco a pouco. Um grande desafio para duas almas inexperientes  essas andanças mas há que ter fé que tudo correrá pelo melhor.

Prendas: um cestinho com toalhas para a casa de banho, um avental que diz "boa cozinheira é benfiquista", conjunto da perfumes e c@ - loção e sabonete para as mãos -, um relógio e dinheiro. Agradeci todas com um sorriso :)

E vocês? Algo de giro no Natal? Ou episódio caricato?

24 de dezembro de 2017

"O Outro Eu"


Estive a ler este livro O outro Eu, de Daphne du Maurier e gostei muito do enredo e dos pormenores. Estava entusiasmada com lê-lo porque um dos meus livros preferidos da autora (Rebecca) e foi por isso mesmo que a minha irmã me ofereceu este. Pois... Só que odiei o final deste, a par de que adorei o final do outro.
Estas desilusões no final dos livros dão cabo de mim, apetece-me esganar o autor e perguntar-lhe "por que é que raio é que tu achaste que isto era um final decente para esta história??". É que a sério não foi carne nem foi peixe, foi tão sensaborão... Eish... Nunca mais. Daphne, babe, o Rebecca é muito giro, sim senhora, parabéns, mas não me enganas outra vez...

Segue-se este...
Wish me luck!
Cisne

23 de dezembro de 2017

As coisas que eu aprendo...


Aprendi a... dobrar sacos! Ehehe, ridículo certo? Mas a verdade é que esta técnica da minha "sogra c'áde ser" dá jeito porque ocupam muito menos espaço. Ora eu tenho dois sacos de Pingo Doce a abarrotar de sacos e já não posso mais com o espaço que aquilo me ocupa.
Alguém interessado em saber como fiz? Posso fotografar/filmar passo-a-passo, é super simples (acreditem, se eu consegui, toda a gente consegue!).

Cisne

22 de dezembro de 2017

Primeira árvore de Natal

Pelo primeiro ano fiz árvore de Natal onde vivo com a minha irmã. Temos mudado imenso de cada desde que moramos juntas (há 5 ou 6 anos) e portanto não fazia sentido andarmos com a árvore e enfeites atrás e em muitos dos sítios não tínhamos sequer sítio para a meter. Mas agora finalmente assentamos e cá está ela a iluminar e embelezar a nossa sala. Gosto muito do ar acolhedor que lhe dá, pois como é a primeira casa onde estamos realmente e tivemos de mobilar por inteiro, estamos a decorá-la muito pouco a pouco... Gostam? (Se disserem que não levam uma paulada virtual!)


Cisne

21 de dezembro de 2017

Depois da audição...













... Fui passear! Achei que merecia. E mesmo que não merecesse ia na mesma.
Ora fui com o intuito de ver a Lisbon Film Orchestra (uma orquestra de filmes portuguesa que desde que conheci não perco um concerto) a tocar no Palácio de Marquês de Pombal em Oeiras e, já que ia, aproveitava e via barraquinhas de Natal - porque supostamente o concerto estava inserido num mercadinho de Natal. Pois, até devia estar mas quando eu cheguei lá só deu mesmo para ver os jardins. E que bem valeram a pena!! Ficam as fotos que tirei antes e depois de um chocolate bem quentinho e delicioso (embora caro! - um copito de café 2€!!)

Cisne

20 de dezembro de 2017

Encontrar o caminho

Como saber que estamos a fazer as escolhas certas? Como saber como as tomar? O que fazer quando nos sentimos abalroados pela vida? O que fazer quando o coração não fala mais alto?
 Para onde ir quando estamos perdidos?

Cisne

Para um ambiente harmonioso...

...Compilei 17 Regras (importantíssimas!) da Sala de Dança, caso hajam alunos por aí. Cuidadinho! ^_^

17 Regras da Sala de Dança


  1. Não comas nem te penteeis dentro da sala de dança. Não só é um espaço para todos mas também para dançar de todas as formas e sem receios, pelo que deve estar limpa, organizada e cuidada;
  2. Sê assíduo e pontual. sempre que faltas estás a prejudicar não só a tua evolução mas também a do trabalho dos teus colegas que podem estar a preparar uma coreografia contigo. Sempre que te atrasas estarás a perturbar o seguimento da aula, o que provoca constrangimento e desconcentração
  3. Porque imprevistos acontecem, se tiveres de entrar depois da hora, não entres na sala quando a música estiver a tocar;
  4. Se não estiver música a tocar, bate à porta e pede licença ao professor para entrar;
  5. Sempre que acabares um exercício, mesmo que outros grupos já estejam a dançar, olha para o professor, pois ele pode ter correções para dar;
  6. Divide o espaço de forma igualitária com os teus teus colegas, sempre que fizeres um exercício na diagonal;
  7. Sê paciente. Espera sempre que o professor acabe de falar para tirares as tuas dúvidas. Tenta perceber quais as questões mesmo pertinentes para não perturbar a continuidade da aula;
  8. Sê gentil com os teus colegas. não tenhas medo de oferecer ajuda e correções mas também não pressiones o colega a aceitar ou concordar. Agradece sempre que um colega te oferecer ajuda ou correção.
  9. Respeita o professor. Mesmo que tenham desenvolvido uma boa relação de amizade, o professor continua a ser a figura de autoridade e orientação – respeita sempre as suas indicações e correções e não fales inconvenientemente.
  10. Não fales durante a explicação ou execução dos exercícios. As aulas de dança são geralmente muito curtas e o professor tem de manter um ritmo rápido para poderes progredir na aula. Sempre que ele tem de te chamar a atenção, esse tempo fica ainda mais curto, o que atrasa todo o trabalho da turma;
  11. Escolhe o melhor momento para beber água (quando o professor estiver à procura da música, a tirar dúvidas...; nunca enquanto estiver a dar explicações, marcar exercícios, etc);
  12. Observa os teus colegas a dançar. Aprendemos sempre imenso ao ver os outros a dançar: corrigir erros em nós que vemos no outro, reparar em pormenores que o colega fez e eu me esqueci, inspiração, etc.;
  13. Não te encostes, não cruzes os braços, nem te sentes sem a autorização do professor. Qualquer uma destas posições são de inactividade e dão ao professor a impressão de que não estás atento, mesmo que estejas e faz com que não estejas preparado para as correções que ele te pode dar para experimentares ou recomeçar o próximo exercício;
  14. Se possível, chega mais cedo do que o início da aula. Quando o tempo é curto, o professor não consegue marcar aquecimento. Por isso, enquanto convives com os colegas, prepara o teu corpo para aula, física e psicologicamente;
  15. Respeita o teu corpo (e o dos outros) para evitares lesões. Separa a «dor boa», de esforço e trabalho ou de uma pequena pisadela de uma «dor má», de quando realmente é a altura de parar – não faças exercícios de flexibilidade se não estás quente ou saltos sem preparação/recepção, etc;
  16. Não te esqueças de agradecer ao professor e aos colegas, batendo palmas no final da aula como forma de agradecimento pela partilha de conhecimentos e experiências;
  17. Diverte-te e aproveita. Alegria, motivação, empenho é uma regra importante da sala de dança pois só assim se pode fazer arte e tirar real proveito dela.

Estas regras são para ti, por todos nós.

Com muito amor da professora de dança,

Cisne

19 de dezembro de 2017

Wishing Star by Cris - Corram!


Vocês TÊM de conhecer este site! As coisas são TÃO giras e é uma excelente altura para oferecer como presente.
Eu encontrei estes produtos ao ir ao mercadinho de Natal do Jardim da Estrela e ia saindo lá sem carteira, sem fígado e um rim. A sério, até tenho vergonha de dizer quanto dinheiro deixei ali. Mas... valeu completamente a pena!
A senhora é um amor, ultra disponível!
Eis o que eu comprei...
O meu era com smiles, para as minhas aulas


Na tabela de tarefas (para oferecer à sobrinha de 3 anos do meu namorado), tinha a tarefa "TPC's" mas ela disse-me logo que alteraria para o que eu quisesse e me mandava o PDF para eu poder imprimir quantas vezes precisasse ao longo do ano. Uma fofa.

Adorei e não sei como não trouxe a loja toda! E, é claro, vou TER de voltar para comprar mais moedinhas com coisas diferentes para as minhas aulas de dança criativa. É que fazer com papéis como eu tenho feito já não tem jeitinho nenhum.

Podem comprar online aqui ou ver presencialmente nos mercadinhos por onde a marca vai passando. A desvantagem de verem pessoalmente é que vos vai apetecer levar tudo e possivelmente nem têm toda a escolha que está disponível. O site está a abarrotar de coisas. Façam um favor a vocês mesmo e visitem. Estou apaixonada...

Cisne

Mais uma


Fui fazer outra audição este Domingo para uma Companhia de Dança profissional a ser lançada agora. Ainda não recebi resposta mas não custa aí desse lado torcerem um bocadinho... Pode ser? Please please...?

Cisne

Vídeo Natalício (ou não?)

Filmei estes belos 10 segundos há um mês mais ou menos e esqueci-me de publicar... Cá vai!
Cisne

18 de dezembro de 2017

Revolução, mudança


"Não fazemos revolução, nós somos a revolução"
Vi esta frase escrita e fez todo o sentido. Primeiro nós e de nós virá a mudança. Mote para a semana!

Cisne

16 de dezembro de 2017

Comic Con 2017


Se me dissessem há um ano atrás que dali a um ano eu estaria na Exponor para a Comic Con eu não acreditava. Mas é verdade verdadinha, cá estou.
E é exactamente o que eu esperava: algo completamente fora da minha onda. Imensa gente mascarada, e alguns absolutamente brilhantes. Sem dúvida uma experiência diferente.
Estou cá para ver apenas a Lisbon Film Orchestra a actuar mas tenho o passe de fim-de-semana. Portanto se houver alguém por aí a querer 3 bilhetes para domingo, que se acuse. Não sei muito bem como entregar os bilhetes mas algo se há.de arranjar!

Jinhos à prima,
Cisne

12 de dezembro de 2017

Pressão


Hoje descobri uma coisa sobre mim: não gosto de ser pressionada.
E não funciona.
Não me pressionem a fazer algo pois, mesmo que eu o queira fazer ou concorde, eu não o vou fazer ou vou fazê-lo com muito má vontade, apenas porque me pressionaram.
Simplesmente não me pressionem... Please. Eu chego lá sozinha. A meu tempo. Sempre foi assim e sempre fiz e fui tudo aquilo que devia ter feito e sido. Está tudo controlado.

Cisne

11 de dezembro de 2017

Crises existenciais?


Sou a única que agenda posts para as 10h da manhã? Em em vez de para a mesma hora que é no momento mas noutro dia? Ou para as 7h da manhã em que quem acorda pode logo ver se quiser?

É que na minha imaginação as pessoas foram trabalhar ou simplesmente começaram o seu dia cansativo e atarefado e às dez da manhã ou dez e meia é a altura da pausa. E eu gosto da ideia do meu blog ser um blog de pausa... se calhar não é... ups.

Enfim. Sou a única??

Btw, tenho feito bastantes posts em que pergunto se sou a única a fazer/pensar/dizer determinadas coisas... crises existênciais?

Cisne

10 de dezembro de 2017


Sabem quando têm namorado e de repente na net ou por mensagem um rapaz qualquer conhecido/amigo mete conversa convosco? No meu caso disparam todo o tipo de alarmes para estar atenta a cada palavra e maneira como é dita, para ter a certeza que meto logo travão ou "subtilmente" indico que tenho namorado, no preciso instante que pressinto algum "atiranço".

Esta noite aconteceu. Acho eu. O mais engraçado é que foi tudo entrelinhas. Um "atiranço" subtil e um chega para lá subtil mas óbvio. Assim que o disse despedimo-nos quase imediatamente com um smile de cada parte que era quase como se disséssemos:
 "- Ok, obrigada por me dizeres já em vez de me continuares a dar conversa e me fazeres de parvo só para te subir o ego...
- Não, não, eu é que agradeço porque foste muito cavalheiro e foste logo embora quando eu disse que tinha namorado, obrigada!"

Ou eu só estou a imaginar isto tudo e foi uma conversa absolutamente normal??

Isto sou só eu?? Costumo ter um bom instinto nestas coisas...

Cisne

P.S. Btw, quão esquisito é que em inglês «atirar-se a» utiliza a mesma palavra que traduz «bater em» - Hitting (on)??

8 de dezembro de 2017

Cisne nas artes manuais


Eu não sei se já referi mas sou uma pequena monga no que toca a artes manuais. Ou vamos dizer antes desta forma: não nasci com um talento especial para a coisa, também não sou dotada de grande paciência para a minuciosidade e a BRUTAL verdade é que: nunca me dediquei a ser boa em nada deste tipo.

Como espero suponho que hajam por aí mais pessoas preguiçosas como eu, aqui ficam os vídeos de coisas rápidas e realmente simples, que não precisam de grande trabalho minucioso (que é como quem diz: se forem maus como eu, acho que neste trabalho escapa).

Espero que gostem ;)



Cisne

7 de dezembro de 2017

Hoje são os meus anos!!!


Estou muito feliz por há 24 anos ter nascido!!!
Não foi um nascimento fácil. Nasci virada ao contrário, com o cordão umbilical no pescoço, o que fez com que não estivesse a respirar sozinha e todo um rol de outras coisas giras durante os primeiros dias de vida. Ao mesmo tempo, a pobre da minha mãe também não ficou nada bem.
Maaaas, cá estamos as duas, vivinhas da silva e prontíssimas para mais 24 anos!!
Há tantas coisas que quero agradecer que nem sei por onde começar!! Mas vou tentar...

Obrigada por:
  • Poder viver neste mundo
  • Pelo meu nome
  • Ter conseguido melhorar a relação com o meu pai nos últimos anos
  • Pela maturidade para o fazer
  • Pela minha educação
  • Pela minha família e amigos
  • O meu namorado fazer anos no mesmo dia que eu
Obrigada, obrigada, obrigada. Sou uma criatura extremamente feliz. Uma bailarina realizada, uma coreógrafa semi-realizada (mas que ainda vai ser full-realizada!), uma professora realizadíssima, uma menina muito crescida e uma mulher ainda pequenina.

Gosto muito da minha idade. 24 parece-me muito bem e nunca imaginaria ter feito tanto, conseguido tanto, experienciado tanto ainda tão nova. Se os primeiros 24 anos foram assim, estou ansiosíssima pelos restantes.

Obrigada a este blog que acompanhou 9 anos dos 24, relembrando-me que já fui muito parva mas que também já amei muito, caso alguma vez me esqueça. Obrigada a vocês, que nem sempre estiveram desse lado mas que são uma parte muito importante deste ano de alguma turbulência. Obrigada!!

Cisne

6 de dezembro de 2017

Natal


Tenho uma relação muito (estranhamente) chegada com três pessoas da minha família: a minha irmã mais velha, mãe e tia. Quatro irmãs, portanto. E é mais isso que parece. Como a minha tia e a minha mãe estão divorciadas e a minha irmã também solteira, temos algum tempo para estarmos juntas e fazer coisas giras juntas. Elas é clube de leitura, viagens no estrangeiro só as quatro, lanches quando apetece, entre outras coisas.
Desta vez a ideia foi calendário do advento com pequenas tarefas natalícias para todas. Demos umas ideias e lá se escreveram 25 papéis para cada um dos dias até ao Natal. A tarefa de hoje é escrever um texto ou poema sobre o Natal, portanto cá estou eu.

Tenho um vídeo de uma consoada há muitos muitos anos atrás, gravado numa daquelas cassetes pequeninas que ainda se rodavam com a ponta da caneta. Adoro esse vídeo de Natal. É uma memória que não tenho em mim, mas que tenho oportunidade de revisitar ao ver o vídeo. Ver os meus pais juntos é surreal; ver-me em bebé é único - olhar para mim e poder dizer sobre mim mesma "que coisa mais fofa!!" -; ver a minha irmã super compenetrada na sua tarefa de desembrulhar presentes e perceber minuciosamente o que cada um era; ver as caras de todos a olharem para nós, a chamarem o nosso nome (num género de eco bonito que ressoa até ao presente), apenas felizes e entretidos porque nós também estávamos. Tive a sorte que muitos não tiveram: uma infância encantadora. Com acesso a tudo: brinquedos, educação, apoio, amor.
Hoje, pouco ou nada mudou. Continuo a ter a sorte que muitos não têm e mais um bocadinho. E no Natal e fora dele, a primeira coisa que me surge é agradecer. Foram-me dadas todas as oportunidades na vida, nasci uma privilegiada em tudo. Obrigada.
Mas há que dizer: se o Natal é família, se é amor, eu não sei se alguma vez vou ter um Natal em que não me sinta incompleta. Para já divido-o entre "a parte da mãe" e a "parte do pai" - onde quer que eu esteja falta sempre alguém e o meu namorado para já também não o passa comigo. Quando também ele for uma prioridade de ponto assente, vou ter de fazer algo que nunca me ocorreu: dividir o Natal entre estar com a minha irmã e não estar. E só este pensamento arrepia-me a espinha. Pois apesar de ainda hoje sermos cão e gato, ela esteve sempre lá. Este vai ser o 24º Natal, desde que me conheço como gente, que ela esteve sempre lá comigo, acontecesse o que acontecesse, mudasse o que mudasse. E depois de todos estes anos inseparáveis, sabe um bocadinho a azedo que a mudança seja eu.
E é isto. O Natal é lindo, adoro o Natal. Mas não sei se algum dia vai deixar de ter este saborzinho a triste. E nisto acredito que tive a sorte de muitos: o Natal também é altura de sentir falta de quem não está.

Cisne

5 de dezembro de 2017

Movimento: Os meus Blogs #3


Hoje venho falar da Pepper
A Pepper é uma menina, recentemente mãe e casada, que escreve sobre assuntos diversos. O que eu mais gosto quando leio é de me identificar com bastante do que ela escreve. É uma mulher como todas as outras e especial ao mesmo tempo e eu gosto sempre de ler sobre alguém assim. Gosto muito dos posts que faz sobre o filho ou sobre a nova vida dela, faz-me querer ir fazer já um de seguida! Mas fora isso, apesar de alguns (cada vez menos frequentes) erros de gramática, escreve muito bem (não é nada aborrecida, são textos sucintos e que apetece ler), tem sempre umas fotografias a acompanhar os posts que é de babar. Em resumo: sou leitora assídua já há bastante tempo.
O que eu menos gosto no blog é ao mesmo tempo o que me faz sempre lá voltar para ler: ela é muito insegura em relação a si e ao blog e está sempre a querer mudar e mudá-lo e ainda não percebeu que ambos são maravilhosos exactamente como já são. Eu continuo sempre a voltar para me certificar que ela o sabe =)
Gosto muito. Façam uma visita à Always Pepper Girl e não se esqueçam de Seguir se gostaram ;)

Cisne

4 de dezembro de 2017

Amor à filme


Lembro-me de ter 16 anos e ter tido um namorado por quem me apaixonei loucamente. Já nem me lembro quanto tempo de namoro tivemos nem porque é que terminamos (sei só que foi a minha decisão) mas foi definitivamente um namoro "à filme".

Isto para dizer que quando nos apaixonamos loucamente é um amor "à filme": coincidências imensas, o destino e o Universo a dar sinais... Lembro-me de achar que as coisas mais ridículas (como ele gostar muito de carros e o meu pai ter um negócio de automóveis) eram um sinal de que iríamos ficar juntos para sempre. Hoje, não só percebo que isso era parvo como ainda me admiro de ser tão apaixonada aos 16 anos. Alguém nos devia proibir de apaixonar aos 16 anos. É tudo tão dramático que basta numa pessoa... É-me estranho pensar num amor inconsequente e dramático - parece que nem fui eu naquela história.

Hoje ele está casado com a menina que veio a seguir a mim, um ano depois de terminarmos, e estão à espera do primeiro filho. E assim sei que estou enganada: Ainda bem que alguém se apaixonou aos 17 anos =)

Cisne

3 de dezembro de 2017

Está quaseeeee


Está quase está quase está quase! Dia 24 está quase aí, o que significa que o dia de revelar a minha grande surpresa de Natal também está! E eu não tenho NADA preparado!!!!

A ideia é oferecer um "Cabaz de Natal" ao meu namorado que será um "Kit para sobreviver a um ano com a tua namorada...." e no final da caixa dirá "...a viver contigo". Ihihi. A ideia é decorar uma caixa grande de cartão que tenho em casa e lá dentro meter tudo o que é necessário para viver em paz comigo. No fim pedir-lhe para morarmos juntos - o que vai ser uma grande surpresa para ele, imagino, uma vez que ele já me tinha pedido há uns meses e eu disse que achava que ainda não estava na altura; desde então não voltámos a falar no assunto e temos estados tranquilos.

Já tenho tudo planeado há um mês mas há um mês que não tenho onde cair morta, sempre a contar cada tostão e isto é um presente que requer algum dinheiro. Enfim, mas já recebi! Portanto agora é meter mãos à obras e não comer muito este mês :p

Se vos interessar posso ir metendo aqui a evolução do presente =D

Cisne

2 de dezembro de 2017

Movimento: Os meus Blogs #2


Olá! O prometido é devido!
Ora bem a Rita C. é uma moça muito divertida, muito VIVA. E é essa vida que preenche cada palavra no blog dela e que me motiva a ser seguidora ávida. É um blog pessoal, sobre o dia-a-dia, sobre filmes, sobre livros, opiniões pessoais e de tudo mais um pouco. Não acompanho há muito tempo mas há tempo suficiente para adorar cada post e estranhar sempre que se ausenta (que raramente acontece).
A Rita C. quer chegar aos 300 seguidores até ao final do ano e eu acho que com a vossa ajuda ela vai conseguir. Vamos ajudar a Rita? Dêem uma vista de olhos ao blogue dela, The Choice e, se gostarem, não se esqueçam de seguir!
Fora tudo isto, como já devem ter percebido, aconselho VIVAmente!

Same

Lembram-se disto? Tudo se mantém. (caso estejam a estranhar a ausência). Eu pedi e a vida deu!

Cisne

1 de dezembro de 2017

Movimento: Os Meus Blogs #1


Ora pois bem, tudo surgiu numa bela noite em que a Rita C. disse que queria chegar aos 300 seguidores e eu disse: Quero ajudar!

Vai daí que lhe disse que escreveria sobre ela no meu blog para dar a conhecer o dela aos meus seguidores. Foi então que me lembrei que seria porreiro, para podermos todos conhecer blogs novos, de criar um "movimento". Ou seja, meter toda a gente mexer com o mesmo objectivo: dar a conhecer os nossos blogs preferidos/os blogs que gostamos de ler. Para quê? Para não estarmos sempre a ler o mesmo, alargar um pouco as nossas conexões, ler outras opiniões e sobre outros assuntos. 

O que acham? Num próximo post falarei sobre o blog da Rita C. e em seguintes posts de outros blogs que leio com regularidade e gosto muito.

Espero que adiram e gostem de participar no movimento!

Cisne

Chico-espertice

Coisas que precisam de saber sobre esta história: 1. Eu odeio o meu suporte das escovas da casa-de-banho 2. O feitiço vira-se con...